Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

TST participa de programa de residência para profissionais de Tecnologia da Informação

Os estudantes vão atuar no desenvolvimento de soluções com foco no público externo e em dispositivos mobile

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) irá desenvolver, nos próximos meses, um programa de residência na área da computação. Serão selecionados 12 participantes, que atuarão no desenvolvimento de soluções tecnológicas para qualificar o atendimento da Corte à população. A iniciativa é realizada em parceria com o Instituto Metrópole Digital, vinculado à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que sediará o curso.

A expectativa é de que, ao longo do programa, seja desenvolvido um software para consulta do inteiro teor de processos por advogados via celular, adaptado para os sistemas operacionais Android e IOS. Em troca, os participantes terão, ao longo de 18 meses, vivência profissional em sua área de atuação, diploma de especialização Lato Sensu e uma bolsa de R$ 3 mil.

Essa é a primeira vez que o Tribunal irá receber profissionais formados ou que estejam concluindo a graduação para avaliar e desenvolver soluções em Tecnologia da Informação, com foco no usuário externo. A atividade ocorrerá de forma remota, com a possibilidade de realização de workshop na sede do TST, em Brasília (DF).

“O programa será uma troca de vivências e aprendizado. O Tribunal terá soluções tecnológicas sugeridas por profissionais da área acadêmica e, em troca, os estudantes poderão vivenciar rotinas e qualificar seus currículos”, enfatiza o presidente do TST, Emmanoel Pereira.

As inscrições para o processo seletivo estão abertas até o dia 31 de maio. Para concorrer a uma das 12 vagas, o candidato precisará cumprir as duas etapas da seleção. A primeira é a homologação da inscrição e a verificação dos documentos requisitados, e a segunda consiste na realização de prova de conhecimentos específicos.

O Programa de Residência tem por objetivo qualificar os profissionais através de atividades de capacitação e de sua inserção em ambientes e projetos reais. Entre as atividades previstas, está a análise de softwares usados pelo TST e a apresentação de sugestões de melhorias de usabilidade.

A parceria prevê que cada profissional dedique até 1.440 horas de atividades para o TST. O edital de seleção foi elaborado com auxílio do Tribunal, a fim de que os requisitos de conhecimentos desejados para os participantes atendam a realidade da Justiça do Trabalho.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Serviço:

Programa de Residência em Tecnologia da Informação da UFRN – Turma TST
Inscrições: até 31 de maio de 2022
Nº de vagas: 12
Acesse o edital (https://sigaa.ufrn.br/sigaa/public/processo_seletivo/lista.jsf)








Você pode gostar