Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Renan vai ao STF contra silêncio de Pazuello e diz que ele quer proteger possíveis infratores

Em documento, endereçado ao ministro Ricardo Lewandowski, o senador argumenta que Pazuello será ouvido como testemunha, e não investigado

Foto: Agência Senado

Mônica Bergamo
São Paulo, SP

O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros, afirma que o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello pode “estar objetivando proteger possíveis infratores” com o pedido de habeas corpus autorizando que ele fique em silêncio em seu depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito.

Renan enviou um ofício ao STF (Supremo Tribunal Federal) criticando a solicitação feita por Pazuello. No documento, endereçado ao ministro Ricardo Lewandowski, o senador argumenta que Pazuello será ouvido como testemunha, e não investigado.

“A CPI encontra-se em sua segunda semana de oitivas, fase incipiente de seus trabalhos e, por isso, ainda não há uma linha investigativa que claramente implique o sr. Eduardo Pazuello em crimes, de forma a justificar a concessão da medida pleiteada”, esreveu Renan

“O impetrante dá demonstrações de que tem a intenção de dificultar, desde o nascedouro, os trabalhos de uma comissão parlamentar legitimamente criada e instalada […] e tem por missão investigar a fundo e apresentar ao povo brasileiro a atuação do governo federal na condução da maior crise sanitária que o Brasil e o mundo já tiveram”, afirma o senador.

As informações são da FolhaPress

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar