Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Randolfe reage a provocação ao se vacinar e diz que Bolsonaro é ‘assassino’ que será preso

Senador protestou responsabilizando Bolsonaro pelas 500 mil vítimas do novo coronavírus

Foto: Agência Senado

Mônica Bergamo
São Paulo, SP

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi abordado por um apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nesta segunda-feira (21) na UBS Congós, na zona sul de Macapá, logo após tomar a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

“Senador, senador, só uma palavrinha com o senhor. Por que aquela CPI da palhaçada lá em Brasília?”, perguntou o homem, que usava uma máscara estampada com a imagem de Bolsonaro e gravou em vídeo a sua intervenção. “Que a gente vai prender Jair Bolsonaro”, respondeu Randolfe.

“Não vai prender nunca. Sabe por quê? Deus está com ele. Em vez de vocês estarem perseguindo o Bolsonaro, vocês deveriam estar cuidando do país, que está doente”, replicou o apoiador. “Graças a Bolsonaro”, disse Randolfe.

O homem ainda disse que o presidente não matou ninguém e que Randolfe, sim, “ajudou a matar pessoas no Brasil” por ser político. O senador protestou responsabilizando Bolsonaro pelas 500 mil vítimas do novo coronavírus e chamando o pesidente de “assassino” e “genocida”.

“O momento seria todo cheio de aleagria se não fosse, ao final do meu ato de vacinação, a agressão desmedida por um militante das milícias, que lamentavelmente andam por todo o canto do país”, disse Randolfe em vídeo gravado após o episódio. “Aos membros dessas milícias, eu advirto: nós não seremos intimidados.”

“Os responsáveis por nós termos mais de meio milhão de mortos, tenham certeza, iremos fazer de tudo para que paguem pelo seus crimes. Não adianta tentativa de intimidação. Não terão êxito”, finalizou o senador.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

AS informações são da FolhaPress






Você pode gostar