Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Queiroga fala sobre vacinas da Pfizer

Ministro voltou a dizer que o Brasil espera 15 milhões de doses da vacina até junho e exaltou relação com Butantan e Fiocruz: “Dois patrimônios”

Por Willian Matos 20/04/2021 12h36
Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, falou a jornalistas nesta terça-feira (20) na porta do Ministério. Queiroga falou sobre a aprovação do coquetel anticovid, das vacinas da Pfizer compradas pelo governo federal e da relação com os institutos Butantan e Oswaldo Cruz (Fiocruz).

“Nós temos uma expectativa de, nós próximos três meses, receber mais de 15 milhões de doses da vacina da Pfizer”, citou Queiroga. O ministro já havia feito a mesma declaração na semana passada após reunião do comitê contra a covid-19 do governo federal.

O Brasil já havia pedido no mês passado a antecipação de doses da Pfizer, “fruto de uma ação direta do presidente Jair Bolsonaro”, comentou Queiroga. O país fez um acordo com a farmacêutica para a compra de 100 milhões de doses, mas grande parte só chegará no segundo semestre.

Queiroga relembrou que a Pfizer tem de ser armazenada em -70ºC, temperatura bem mais baixa do que os outros imunizantes utilizados no Brasil. O ministro se mostrou atento à esta questão logística, mas disse estar certo de que a vacina estará “disponível à população de forma muito segura”.

Butantan e governo aliados

Queiroga também colocou panos quentes na relação governo x Instituto Butantan, antes estremecida por rusgas entre o presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria. O ministro disse que “Ministério e Butantan são aliados” e que tanto o Butantan quanto a Fiocruz são “dois patrimônios da sociedade brasileira”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar