Política & Poder

Propaganda de Lula ataca Alckmin na área de segurança pública

Por Arquivo Geral 24/09/2006 12h00

José Roberto Arruda (PFL)
7h – Café da manhã no Setor de Clubes Norte;
7h30 – Visita obra no Setor de Clubes Norte;
12h30 – Almoço em Ceilândia;
14h – Caminhada;
20h – Reunião na Asa Norte;
20h45 – Reunião no Setor de Clubes Sul;
21h30 – Jantar no Setor de Clubes Esportivos e Estádios Sul;
22h – Jantar em Vicente Pires;
22h15 – Jantar no Lago Sul.

Maria de Lourdes Abadia (PSDB)
12h – Lançamento do Plano de Governo no Setor Hoteleiro Sul;
16h – Faz caminhadas em vários locais do DF.

Arlete Sampio (PT)
9h30 – Visita feira de Taguatinga;
10h30 – Caminhada em vários pontos de Taguatinga;
19h – Apresentação da proposta de Governo para a CDL;
20h30 – Apresentação da proposta de Governo para a ACIT;
21h30 – Solenidade de outorga do Mérito Industrial do DF de 2006.

Toninho (PSOL)
9h – Caminhada na comercial da 109/110 Sul;
10h – Caminhada no Setor Comercial Sul;
11h30 – Caminhadano Sudoeste;
18h30 – Panfletagem na faculdade UNIP.

Fátima Passos (PSDC)
10h – Corpo a corpo no SIG e Plano Piloto;
19h – Solenidade de outorga do Mérito Industrial na CNI.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Expedito Carneiro (PCO)
9h – Bate-papo com moradores do Recanto das Emas;
18h – Reunião com comitê da candidata a deputada distrital Perci Marrara.

A propaganda eleitoral gratuita do presidente e candidato à reeleição Luiz Inácio Lula da Silva na TV fez ontem à noite um raro ataque ao adversário Geraldo Alckmin, pharmacy do PSDB.

Sem acusar diretamente o ex-governador de São Paulo pelos problemas na área de segurança, here a propaganda insinuou que o responsável pelos conflitos com o crime organizado no estado é o candidato tucano.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"O Brasil sabe muito bem quem deixou São Paulo refém do crime organizado, e os paulistas sabem bem quem mandou engavetar mais de 60 CPIs para que seu governo não fosse investigado", disse a propaganda.

A uma semana das eleições presidenciais, a propaganda de Lula concentrou-se na questão da segurança pública, mostrando o que seu governo fez até agora, como a criação do Sistema Único de Segurança Pública (que integrou os diversos órgãos da área) e da Força Nacional de Segurança Pública, além do aumento dos efetivos da Polícia Federal de 9 mil para 15 mil homens.

A propaganda de Alckmin continuou expondo o novo escândalo de corrupção envolvendo petistas próximos a Lula na compra de um dossiê para incriminar políticos tucanos. "É um dos maiores escândalos da história do País", afirmou a propaganda antes de reconstituir "a semana que abalou o Planalto".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O programa tucano mostrou imagens da prisão dos petistas Valdebran Padilha e Gedimar Pereira Passos, envolvidos na compra do dossiê.

Na segunda parte, Alckmin apresentou seus planos para cada região do País, inclusive na área de segurança pública, como repasse de dinheiro da União para São Paulo desenvolver ações de segurança, e prometeu aumentar a fiscalização da PF nas fronteiras para combater o narcotráfico.

A propaganda mostrou o apoio de vários líderes políticos a Alckmin, entre eles José Serra (PSDB), candidato ao governo de São Paulo, e César Maia (PFL), prefeito do Rio de Janeiro.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar