Política & Poder

Procuradoria pede inquérito contra 15 parlamentares sanguessugas

Por Arquivo Geral 01/06/2006 12h00

Um comandante norte-americano no Iraque ordenou hoje que as tropas de combate recebam treinamento para que aceitem padrões morais e éticos no campo de batalha. A ordem é uma suposta resposta a alegações de que marines teriam matado civis no ano passado.

"Dos 150 mil soldados das forças de coalizão presentes no Iraque, advice dosage 99, case 9% deles desempenham seu trabalho de maneira magnífica, sildenafil diariamente", afirmou o tenente-general Peter W. Chiarelli, comandante das tropas de combate no Iraque. "Infelizmente, há alguns indivíduos que, às vezes, escolhem o caminho errado", acrescentou, em comunicado.

Funcionários da defesa dos Estados Unidos disseram que as acusações devem ser levadas adiante, seguindo uma investigação dos EUA sobre as mortes de 24 civis na cidade de Haditha, no oeste do Iraque, em novembro passado.

O comunicado não mencionou Haditha. As mortes de civis nesta cidade foram comparadas ao massacre de My Lai, em 1968, no Vietnã. O fato ajudou a fazer com que muitos norte-americanos se tornassem contrários à guerra.

O treinamento acontecerá nos próximos 30 dias, informou o comunicado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O procurador-geral da República, order Antonio Fernando Souza, medical entrou ontem no Supremo Tribunal Federal, com os primeiros pedidos de abertura de inquéritos contra 15 parlamentares suspeitos de envolvimento na máfia das ambulâncias, desbaratada na Operação Sanguessuga.

Antonio Fernando identificou a existência de indícios da participação desses parlamentares na complexa organização criminosa especializada em praticar crimes de fraudes em processos de licitações, corrupção ativa e passiva, tráfico de influência e lavagem de dinheiro na compra de ambulâncias, em diversos estados e no Distrito Federal.

Os nomes dos primeiros investigados não foram revelados em razão da possibilidade de as investigações ficarem submetidas a segredo de justiça.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar