Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Presidente rechaça agressão a youtuber

Bolsonaro une-se a corrente de solidariedade em favor de Karol Eller, vítima de violência homofóbica

Por Léo Dias 18/12/2019 5h30
foto : reprodução rede social

Léo dias, Aline Rocha e Olavo David Neto
redaçã[email protected]

A agressão homofóbica sofrida pela youtuber Karol Eller, apoiadora e entusiasta do governo Jair Bolsonaro, repercutiu pelo país. Após a notícia da violência, publicada com exclusividade pelo pelo colunista Leo Dias na edição impressa do Jornal de Brasília de ontem, o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, respondeu à imprensa sobre o episódio.

“O presidente rechaça qualquer tipo de violência. É nesse caminho, nessa toada de sensibilidade social e pessoal que ele se coloca contra esse desqualificado ataque a essa cidadã”, comentou.

Ligação pessoal

Pela manhã, Jair Bolsonaro ligou pessoalmente para Karol e demonstrou solidariedade para com a apoiadora e surpresa com a agressão sofrida pela youtuber. Além do Palácio do Planalto, outras personalidades da política brasileira saíram a público para comentar o caso. O uso ideológico se fez presente em todas as publicações.

À esquerda, o deputados David Miranda (Psol/RJ) atacou as falas de Jair Bolsonaro sobre a comunidade LBTGQI+. “Lamentavelmente, Bolsonaro alimenta a LGBTfobia e o discurso de ódio contra nós. A violência não faz distinção partidária e atinge a todos”, escreveu o carioca, homossexual declarado. Já Sâmia Bomfim (Psol/SP) lamentou que o presidente prefira “ter um filho morto a um filho homossexual”, como disse o então deputado federal em entrevista em 2011.

Filho e parte da tropa de choque do chefe de Estado, o também deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL/SP) prestou solidariedade a Karol Eller e questionou a reação dos opositores: “Pela direita, o agressor teria pesada prisão. Será que a esquerda apóia tal medida?’, escreveu o parlamentar. Carla Zambelli (PSL/SP), também partiu em solidariedade da youtuber bolsonarista. “Exigimos que as autoridades punam severamente o responsável”, declarou.

Mensagem ácida

Lésbica, a cantora Zélia Duncan também utilizou o Twitter para se manifestar sobre o caso. A artista publicou uma mensagem ácida direcionada a Karol Eller, autora de vídeos em que critica o “vitimismo” de minorias sexuais, como “Todo dia morrem várias pessoas assassinadas… Esse vitimismo já deu!”, ou “Sou obrigada a ter empatia?!”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Menosprezou o sofrimento dos LGBTs e agora, infelizmente, experimentou essa dor na pele. Homofobia é um fato cotidiano, Karol. Muitos de nós morrem. Melhoras”, escreveu a cantora.

Karol passou o dia sob efeito de remédios e, acompanhada por um amigo e um advogado, prestou queixa numa delegacia do Rio de Janeiro no final da tarde.

Saiba Mais 

Nas redes sociais, Karol Eller postou foto sua sorrindo, antes da agressão sofrida, que a deixou com diversos hematomas.

”Gostaria que vocês lembrassem de mim com esse rosto!”, escreveu a youtuber. “Deus está no comando de tudo. Agora,estou sem condições de falar ou fazer vídeos explicando! Mas, quando eu estiver bem, eu volto a falar com vocês. Obrigada a todos pelo suporte. Orem por mim”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A vítima já tem informações do agressor e deve evitar a imprensa pelos próximos dias.

Além disso, a namorada de Karol está escondida, justamente para evitar novas agressões.

Karol foi agredida no domingo, em um quiosque na praia da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Estava acompanhada de sua namorada, quando foi abordada por um homem, que já a questionou de forma violenta. Depois disso, ela foi atacada a socos e pontapés e chegou a ficar desacordada.

Com colaboração de Lucas Pasin

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar