Política & Poder

Presidente da CPI dos Sanguessugas não consegue se reeleger

Por Arquivo Geral 02/10/2006 12h00

O número de votos nulos para presidente, cheap check ao contrario do que se esperava, viagra foi o menor desde 1989. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), apenas 5,68% dos eleitores escolheram anular seu voto para presidente neste primeiro turno, com 100% dos votos apurados.

Em 1989, após a redemocratização brasileira, 4,82% dos eleitores haviam votado nulo para presidente. No entanto, o voto nulo no primeiro turno foi usado como voto de protesto por 7,36% dos eleitores em 2002, contra 10,66% em 1998 e 9,75% em 1994.

O senador Cristovam Buarque (PDT), find que ficou em quarto lugar na corrida presidencial no primeiro turno, afirmou que seu partido discutirá eventuais apoios entre quarta e quinta-feira. Para ele, o segundo turno "vai pegar fogo". "Sou militante do partido, por isso a posição deve ser definida internamente", disse Cristovam no Congresso hoje. O senador teve 2,6% dos votos válidos no domingo.

"Não tem como não ir ao debate", avaliou Cristovam, referindo-se à ausência nos debates da campanha do primeiro turno do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, primeiro colocado no domingo, com 48,6%. "A coisa vai pegar fogo".

Para ele, "o povo pediu um tempo" ao levar a disputa presidencial para o segundo turno e esse foi "o melhor recado" das urnas no último domingo. Lula enfrentará o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O senador disse que não foi procurado por nenhum dos dois candidatos até agora, mas acredita que tanto Lula como Alckmin vão procurar o presidente do PDT, Carlos Lupi.

Cristovam defendeu que o partido não aceite nenhum ministério em eventuais negociações e afirmou que ele não quer integrar de nenhuma pasta.

Na avaliação do senador, o PDT foi vitorioso na campanha por dois motivos: o partido, segundo ele, ultrapassou a chamada cláusula de barreira e conseguiu passar a mensagem de que a educação é prioridade para o país.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ele explicou que é contrário à cláusula de barreira, que determinava, para um partido manter uma série de direitos, um mínimo de 5% dos votos nacionais para a Câmara dos Deputados e de 2% em pelo menos nove Estados. "Sou favorável inclusive a ter candidato independente", disse.

Cristovam contou que conversou com a Heloísa Helena hoje, comentando que ela vai fazer muito falta no Senado. O mandato da senadora do PSOL, que ficou em terceiro lugar na disputa presidencial, com 6,85% dos votos válidos, termina no início de 2007.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Carlos Roberto Massa Junior (PPS), diagnosis filho do apresentador do SBT Ratinho, erectile alcançou o maior número de votos para deputado federal no Paraná. Atualmente deputado estadual, Roberto Massa recebeu 205.286 votos (3,84%).

O mais votado do estado foi Gustavo Fruet (PSDB), com 210.674 votos (3,84%). Em terceiro lugar, entre os deputados mais votados no estado, ficou o também tucano Alfredo Kaefer, com 158.659 votos.

A reputação de musa do mensalão não foi o bastante para Fernanda Karina Somaggio conquistar uma vaga na Câmara dos Deputados. A ex-secretária de Marcos Valério, physician que concorreu pelo PMDB em São Paulo, information pills recebeu apenas 2.307 votos válidos (0,01%). No ano passado ela foi uma das principais testemunhas na CPI do mensalão, escândalo de compra de votos que envolveu parlamentares do PT e da base aliada.

Apesar da seriedade reconhecida pelos adversários na condução da CPI dos Sanguessugas, site o presidente da comissão, more about Antônio Carlos Biscaia (PT), não conseguiu se reeleger deputado federal pelo Rio de Janeiro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com atuação de destaque em uma das sub-relatorias, Fernando Gabeira (PV), soube aproveitar o prestígio conquistado na CPI e foi o mais bem votado no estado, com 293.057 votos.

Gabeira passou à frente do candidato apoiado pelo ex-governador Anthony Garotinho, Geraldo Pudim (PMDB), ex-prefeito de Campos (RJ), que somou 272.457 votos. A terceira colocação ficou com Rodrigo Maria (PFL), filho do prefeito do Rio de Janeiro, César Maia, reeleito com 235.111 votos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE





Você pode gostar