Política & Poder

Pedida quebra de sigilo de três petistas envolvidos com dossiê

Por Arquivo Geral 24/09/2006 12h00

Três acidentes nas estradas de Minas Gerais mataram três pessoas e feriram cinco hoje pela manhã. Em Brumadinho, visit this diagnosis os dois ocupantes de um caminhão morreram na hora depois que o veículo desgovernou-se e bateu em um barranco. Em Cambuí, pills outro caminhão saiu da pista, matando o condutor.

O terceiro acidente ocorreu em Juatuba. Após uma tentativa de ultrapassagem que não deu certo, dois carros bateram de frente. Ao todo, cinco pessoas ficaram feridas e foram levadas para o hospital.

 

Três petistas que admitiram participação na negociação do dossiê que incriminaria os tucanos José Serra, order Geraldo Alckmin e Barjas Negri na máfia dos sanguessugas tiveram a quebra do sigilo bancário pedida pela Polícia Federal, que quer descobrir a origem do R$ 1,75 milhão usado para comprar o documento. Devem ter as contas investigadas o ex-diretor de Gestão de Risco do Banco do Brasil, Expedito Veloso, o ex-chefe do serviço de inteligência da campanha de Lula, Jorge Lorenzetti, e o ex-secretário do Ministério do Trabalho, Oswaldo Bargas.

Os agentes também querem abrir os sigilos fiscais e telefônicos dos três suspeitos. Interrogados por cerca de 15 horas em Brasília na sexta-feira, os petistas são acusados pela PF de terem combinado previamente os depoimentos na tentativa de poupar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A quantia foi encontrada com o advogado Gedimar Passos e o empresário mato-grossensse Valdebran Padilha em um hotel de São Paulo. Eles aguardavam a entrega do dossiê por Paulo Roberto Trevisan, tio de Luiz Antonio Vedoin, um dos sócios da Planam e acusado de liderar a máfia dos sanguessugas. Tanto Gedimar quanto Valdebran não disseram exatamente a procedência do dinheiro.






Você pode gostar