Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Hang diz ter ficado surpreso com omissão de Covid em atestado de óbito da mãe e cita possível erro do hospital

Depois disse ter procurado a Prevent Senior, operadora responsável pela rede de hospitais em que Regina estava internada

Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

Constança Rezende e Renato Machado

Em depoimento à CPI da Covid, nesta quarta-feira (29), o empresário bolsonarista Luciano Hang negou que tivesse pedido para que a Covid-19 não constasse no atestado de óbito de sua mãe, Regina Hang. Ele disse ter ficado “surpreso” ao saber que a doença foi omitida. Hang apresentou outro documento para justificar que pode ter havido um erro do plantonista do hospital.

O empresário afirmou ter ficado sabendo pela CPI sobre a ausência da menção à Covid-19 no registro. Depois disse ter procurado a Prevent Senior, operadora responsável pela rede de hospitais em que Regina estava internada. Hang afirmou que recebeu um documento do hospital elaborado pela comissão de controle de infecção hospitalar. O documento foi redigido após a emissão da certidão de óbito.

“Pode ter sido um erro do plantonista, que colocou aquelas doenças. Mas quando foram fazer o documento que vai para a secretaria de estado foi colocado Covid. Não vejo interesse do hospital de mentir sobre a morte da minha mãe”, disse ele no depoimento. “Segundo eles, quem preencheu o atestado de óbito foi o plantonista. No dia seguinte uma comissão de controle de infecção hospitalar viu o erro e aí informaram”, completou.

O vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), questionou se Hang tinha a certidão de óbito para apresentar à CPI, mas o empresário respondeu que não. Sobre a possibilidade de ter pedido para que não constasse a Covid-19 no atestado de óbito, Hang afirmou se tratar de uma “coisa de louco”, “fantasiosa”.








Você pode gostar