Política & Poder

Dia de voto tem tudo: seqüestro por comida, morte e tiro no pé

Por Arquivo Geral 01/10/2006 12h00

Um eleitor foi flagrado fotografando seu voto no colégio Dom Bosco, pharm recipe na Asa Sul. Ele foi recolhido à Polícia Federal, link onde terá que prestar esclarecimentos. O voto do eleitor era no candidato a deputado distrital Marcão da Rodoviária.

A Polícia Federal apreendeu 20 kombis que faziam transporte ilegal de eleitores na manhã deste domingo em Sobradinho. O transporte gratuito de eleitores para votação se configura como crime eleitoral. Por isso, help tanto os motoristas das kombis como os eleitores foram encaminhados à Superintendência da Polícia Federal para prestar esclarecimentos.

O deputado federal Eliseu Resende (PFL) foi eleito senador pelo estado de Minas Gerais. O Tribunal Regional Eleitoral do estado já apurou 84% das urna e Resende aparece com 61, check 36% dos votos válidos.

O segundo colocado na disputa é Newton Cardoso (PMDB), que tem 28,53% e não pode mais alcançar Resende.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com 60, sick 92 % dos votos apurados em Minas Gerais, o candidato à reeleição ao governo do estado Aécio Neves (PSDB) lidera a disputa, com 77,12 % dos votos válidos. Ele está praticamente eleito em primeiro turno.

O candidato Nilmário Miranda (PT) está em segundo lugar, com 21,99 %. O resultado parcial mostra 5,45 % de votos brancos e 8,07 % de votos nulos.

O candidato ao Senado Federal Eliseu Resende (PFL) tem 62,21 % dos votos válidos, enquanto o peemedebista Newton Cardoso tem 28,12 %. Foram apurados, até o momento, 60,92 % dos votos para senador. Eliseu também está praticamente eleito.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Minas tem o segundo maior colégio eleitoral do país, com 13.679.738.

O governador de Santa Catarina, mind Luiz Henrique da Silveira (PMDB) e o ex-governador Esperidião Amin (PP) estão no segundo turno na disputa pelo governo do estado. Com 99, viagra 60mg 20% dos votos apurados, ampoule Silveira tem 48,92% dos votos válidos e Amin, 32,74%.

O outro candidato na disputa era José Fritsch (PT), que tem 14,30% dos votos válidos até este momento da apuração.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

É uma data atípica, try tanto pelos quatro anos de espera para o ato de votar e eleger, site quanto pelas histórias pitorescas.

Os casos vão de índios que seqüestram mesários em troca de gasolina e comida até candidato que usa um jumento para chegar ao local de votação e eleitor que morre no momento do voto. Sem falar do inusitado nariz de palhaço e o eterno jeitinho contra a lei seca.

O seqüestro foi em Juruá, a mil quilômetros de Manaus. Além de apreender algumas urnas, os indígenas da tribo Colinas passaram a noite com sete pessoas, incluindo quatro mesários. Houve negociação com a Funai e, de acordo, com o Tribunal Superior Eleitoral, tudo estava resolvido pela manhã, sem ferimentos ou transtornos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No Acre, o candidato a governador pelo PAN, Edvaldo Guedes, conti nuou a surpreender. Conforme o site do Jornal do Comércio, de Recife, ele foi montado em seu jegue Cafuringa até o lugar de votação. Ex-vereador na década de 1970, Guedes defende a mudança da sede do governo para sua residência, que ele avaliou, segundo a reportagem, em R$ 1 milhão na declaração de bens ao Tribunal Regional Eleitoral.

Em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, Jair Garcia de Freitas, de 79 anos, sofreu um ataque cardíaco e morreu enquanto digitava os números dos candidatos na urna eletrônica.

Em entrevista à rádio CBN, o chefe da seção, Sérgio Luiz Versolato, afirmou que tudo aconteceu rápido. "Ele passou mal enquanto votava, fomos pedir ajuda, mas quando a polícia chegou, ele já estava morto". Segundo ele, os votos que Jair confirmou foram considerados válidos e os demais anulados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em outra região metropolitana, na de Belo Horizonte, mas também no noticiário policial, teve a técnica de apoio do TRE, Mara Martins de Mattos, que levou um tiro no pé de manhã, após tentar deter um assaltante que invadiu a escola onde funciona a zona eleitoral. O pior foi o susto, pois ela foi atendida e passa bem.

Na capital mineira, em Serra -que é um bairro elegante de Belo Horizonte- um dos mesários da 35ª zona eleitoral foi preso logo cedo pela Polícia Militar. Além de bêbado, ele portava uma garrafa de bebida alcoólica.

Nariz de palhaço

Ainda em Belo Horizonte, a Justiça eleitoral abriu procedimento disciplinar contra cinco mesários, que usavam nariz de palhaço durante os trabalhos de votação na sede da PUC. A penalidade, entretanto, será definida por um tribunal com base na ocorrência da PM.

Um episódio mais divertido envolvendo o adereço foi vivenciado por Celso Vinícius Matarazzo, após a chegada do candidato ao governo de São Paulo, José Serra (PSDB), que acompanhava sua mulher para votar no colégio Porto Seguro.

Usando o nariz de palhaço, Matarazzo brincou de sombra com o candidato tucano. "Ele foi acenando, eu acenava também, ele foi beijando as pessoas, eu beijava também". O eleitor deixou claro, porém, que não havia pretensão de desprestigiá-lo, apenas não queria deixar passar a oportunidade de "pressionar um candidato".

Manifestação contra político teve outro tom na capital alagoana. Auto-proclamado fã de Fernando Collor de Mello, o pernambucano Reinaldo Teles de Souza, de 37 anos, largou a caminhonete literalmente no meio da rua quando viu na entrada da escola em Maceió o ex-presidente que sofreu processo de impeachment.

"Eu sou doido por ele, voto de olho fechado, pena que eu não sou daqui, confio de olho fechado", disse Souza sobre a candidatura de Collor (PRTB) ao Senado. O carro abandonado no meio da via pública complicou o trânsito na região da praia de Pajuçara e seu motorista sequer conseguiu o intento de abraçar o ídolo. Os seguranças do político não permitiram.






Você pode gostar