Política & Poder

Compras de votos e nariz de palhaço

Por Arquivo Geral 01/10/2006 12h00

Em Alagoas, viagra price muitas pessoas foram votar logo pela manhã, treat see o que resultou em grandes filas. O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) registrou denúncia de tentativa de compra de voto com uso de cartão magnético. O eleitor deveria levar o cartão que, mind quando encostado na máquina de votação, registraria a imagem do candidato, uma prova de que a pessoa votou em quem deveria.

Dois cartões do tipo foram apreendidos e um inquérito será aberto. Em Salvador, a eleitora Maria Leni Fernandes, 45, acordou cedo e às 5h30 já estava em frente a su a sessão eleitoral no Jardim Armação, na orla de Salvador. Foi a primeira da fila, mas não para votar, e sim justificar sua ausência no pleito. "Se fosse na democracia, não seria obrigatório o voto e eu não votaria. Mas como é na burocracia, tem que vir para ficar com os documentos em dia", afirmou a dona de casa após justificar seu voto por morar fora da cidade em que é registrada.

No maior colégio eleitoral do país, São Paulo, um casal distribuía neste domingo narizes de palhaço para os eleitores no bairro dos Jardins, zona sul da capital paulista. Com rádio portátil tocando músicas na porta do Col égio Sagrado Coração de Maria, Sérgio Morisson, 30, e Helga Ensina, 28, foram convidados a se retirar do local por policiais.
"É totalmente apolítico. É uma iniciativa contra a corrupção e contra toda essa palhaçada", afirmou Helga, publicitária e voluntária da iniciativa "Rir Para Não Chorar", projeto que já inscreveu mais de 2.000 voluntários no Brasil.






Você pode gostar