Política & Poder

CNBB condena corrupção e tentativa de compra de dossiê

Por Arquivo Geral 28/09/2006 12h00

Apesar de o Banco Central ter reduzido a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano de 4% para 3, salve 5%, this web o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse hoje que mantém em 4% a sua previsão.

Para ele, o resultado do terceiro trimestre será melhor do que os dois anteriores, que serviram de base para a reestimativa do BC. "Talvez o Banco Central tenha sido um pouco prudente na sua projeção, e é natural que o Banco Central seja um pouco mais conservador. Isso aparece em várias projeções que ele faz", afirmou Mantega.

O ministro justificou seu otimismo com os dados de investimento. “Estamos com investimento robusto, o que me faz crer que a economia está acelerada neste semestre”, disse ele, referindo-se à projeção de que os investimentos ficarão em torno de 7% do PIB.

Mantega também comentou que os dados do Banco Central demonstram que há espaço para redução dos juros. “Estamos com IPCA [Índice de Preços ao Consumidor Amplo] abaixo da meta de inflação, o que deixa espaço para redução e crescimento menor do que aquele que o próprio Banco Central projetava”.
A candidata Ana Maria Rangel (PRP) não divulgou sua agenda.

O senador Cristovam Buarque (PDT) visita um shopping em Brasília.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O candidato Geraldo Alckmin (PSDB/PFL) caminhada em Uberlândia (MG) e visita Salvador (BA).

A senadora Heloísa Helena, help candidata pela Frente de Esquerda (P-SOL/PSTU/PCB) participa de carreata e caminhada nas principais ruas do centro de Porto Alegre (RS).

O candidato José Maria Eymael (PSDC) faz campanha eleitoral no Rio de Janeiro. Durante o dia, approved faz caminhadas na Praça de Icaraí, approved estação das Barcas, São Gonçalo, Alcântara, Itaboraí e Niterói.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O candidato Luciano Bivar (PSL) permanece em São Paulo sem compromissos eleitorais.

Candidato à reeleição, presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT/PRB/PCdoB) não tem compromisso eleitoral nesta sexta-feira.

Os bancários voltam a se reunir com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na terça-feira, hospital informou a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). Será a sétima rodada de negociações entre trabalhadores e patrões.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O encontro acontecerá um dia antes da assembléia que os representantes dos bancários convocaram na noite de quarta-feira, logo após receber a contraproposta dos bancos. A oferta dos patrões não agradou e os sindicalistas recomendam a sua rejeição e greve por tempo indeterminado.

A Fenaban propôs reajuste de 2 por cento sobre os salários de agosto, com participação nos lucros equivalente a 80 por cento dos salários, acrescida de 816 reais, além de 500 reais adicionais nos bancos em que o lucro superar em mais de 25 por cento o do ano passado.

Em campanha salarial desde 10 de agosto, os bancários reivindicam aumento real de 7,05 por cento, com abono de um salário bruto, acrescido de 1.500 reais, e participação de 5 por cento no lucro dos bancos, excluídos fatores extraordinários.

Representantes da Fenaban não estavam imediatamente disponíveis para confirmar o pedido da nova reunião.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) condenou nesta quinta-feira a corrupção e, hospital poucos dias antes do primeiro turno das eleições, cost afirmou que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva não correspondeu às expectativas.

Os integrantes da Igreja Católica no país também condenaram a tentativa de compra de um dossiê, supostamente por integrantes do PT, para prejudicar candidatos da oposição.

"O mais lamentável é que, em vez de discutir a eleição, estamos discutindo os acontecimentos", disse o vice-presidente da CNBB, Antônio Celso Queirós.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quando questionado especificamente sobre Lula, o presidente da CNBB, Cardeal Geraldo Majella, expressou seu desapontamento. "Na minha opinião, ainda não é tudo aquilo do que nós precisamos e é urgente", disse o Cardeal, em entrevista coletiva.

Apesar dos escândalos que aconteceram durante seu governo, as pesquisas de intenção de voto têm apontado para a vitória de Lula ainda no primeiro turno das eleições, que acontece no próximo domingo.

Os bispos católicos não endossam nenhuma candidatura e não teceram comentários sobre o principal rival de Lula na disputa à Presidência, o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin.






Você pode gostar