Política & Poder

Brasil mobiliza tropas federais para a eleição

Por Arquivo Geral 27/09/2006 12h00

Todos os brasileiros poderão investir no mercado de capitais no exterior sem restrições, viagra generic de acordo com decisão do Conselho Monetário Nacional (CMN) hoje.

A medida é mais uma tentativa do governo para tentar conter a valorização do real. Na prática, será possível que pessoas físicas e jurídicas comprem diretamente ações de empresas norte-americanas na Bolsa de Valores de Nova York ou façam poupança na Inglaterra, em libras, por exemplo.

Com a medida, ficam revogadas as resoluções que permitiam apenas as aplicações por pessoas físicas e jurídicas em bolsa no Mercosul ou a compra de Depositary Receipts e Brazilian Depositary Receipts (BDR).

O BC deve publicar uma resolução sobre o assunto no Diário Oficial nos próximos dias. Não havia informações disponíveis sobre como será a tributação do dinheiro aplicado no exterior por brasileiros.

O diretor de Normas do BC, Alexandre Tombini, disse que a medida é mais um passo depois da resolução da autarquia, em março de 2005, que dispõe sobre o mercado de câmbio e da medida provisória editada pelo governo em agosto para modernizar a legislação cambial.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"A idéia era avaliar o comportamento do setor externo. Então o CMN decidiu dar mais um passo na direção de liberalização (do mercado de câmbio)", comentou.

Para Tombini, "é difícil prever" se o fim das restrições para a aplicação de recursos no exterior por pessoas físicas e jurídicas implicará em mais dólares no exterior. "Não há expectativa, isso depende do comportamento das pessoas".

Neste ano, apesar de um recente repique, o dólar acumula baixa de quase 6% frente ao real. Hoje a moeda norte-americana recuou 0,27% e encerrou a R$ 2,187.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O diretor do BC afirmou ainda que as aplicações no exterior por fundos de investimentos são regulamentados pela Comissão de Valores Mobiliários. Já no caso das instituições autorizadas pelo BC, continuam a valer as regras definidas pelo CMN "para esses casos específicos". "Nos demais (pessoas físicas e jurídicas) está liberado, desde que haja base econômica e legalidade na transação".

De acordo com a assessoria do BC, a autarquia está removendo "o obstáculo" para aplicações de recursos por brasileiros fora do país. O entendimento do BC é que, quando alguém comprar ações no exterior, será tributado como se estivesse investindo no Brasil.

"Agora, a mecânica de como isso vai ser feito é a Receita que vai definir", afirmou um assessor.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Procurada, a assessoria de imprensa da Receita Federal informou que as regras tributárias sobre isso ainda não foram definidas.

O Conselho Monetário Nacional (CMN) definiu hoje a regra que permite empréstimos habitacionais com juros prefixados, visit web mediante o uso da Taxa Referencial (TR) apurada nos 90 dias anteriores ao mês de assinatura do contrato acrescida de até 12% ao ano.

"A grande vantagem disso é que as instituições financeiras poderão dar financiamento habitacional a prestações fixas, physician que é algo muito apreciado pelo tomador do empréstimo. Em geral, abortion o consumidor brasileiro prefere saber qual a prestação que ele vai pagar", afirmou o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

O governo anunciou em 12 de setembro uma série de medidas para alavancar o setor imobiliário, entre elas tornar a TR facultativa nos financiamentos habitacionais. Até então, as operações de crédito imobiliário pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) só podiam ser realizadas com o uso da TR, índice que corrige os depósitos de poupança, acrescida de até 12% ao ano.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Pelas novas regras, os bancos poderão manter, eliminar ou então utilizar uma TR travada nos empréstimos para compra de imóveis, cuja forma de cálculo foi definida hoje pelo CMN em reunião.

A TR travada será apurada pelo Banco Central mensalmente, com base nos três meses anteriores, informou Mantega. Segundo ele, hoje essa TR com base nos últimos 90 dias seria de 2,2%, o que implicaria juros fixos de até 14,2% ao ano para compra de imóveis.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O governador do Maranhão, thumb José Reinaldo Tavares (PSB), capsule passou por um grande susto nesta tarde. O helicóptero em que ele estava teve de fazer um pouso forçado na região de São João do Caru, erectile no interior do estado, por volta das 13h30.

A aeronave perdeu altitude ao sair de São João do Caru para Bom Jardim, onde o governador implantaria o Programa de Desenvolvimento Integrado do Maranhão, feito em parceria com o Banco Mundial. Além de Tavares, estavam no helicóptero o piloto Maurício Cobra, o secretário de Agricultura, José Lemos, e o ajudante de ordem, identificado como Capitão Santana.

Apesar do incidente, ninguém ficou gravemente ferido. Com cortes na cabeça e no supercílio, o governador foi atendido no local e volta de carro para a capital, São Luís.

 

Alunos de uma escola de ensino médio no Colorado foram obrigados a deixar o prédio hoje depois que um homem armado, order alegando ter explosivos, treat fez ao menos quatro reféns, buy information pills informaram autoridades.

"Temos reféns, um adulto está mantendo reféns e ele alega ter explosivos", disse Lance Clem, porta-voz da polícia do Estado do Colorado.

Clem informou que cinco pessoas estão sendo mantidas como reféns, mas que uma delas já havia sido libertada.

Houve informações de uma possível troca de tiros na escola Platte Canyon, em Bailey, Colorado, informou a emissora KUSA, de Denver, em seu site na Internet.

O dólar encerrou em leve baixa hoje, pill com o movimento no mercado de moedas e o declínio do risco-país compensando um volume maior de remessas no dia.

A divisa norte-americana fechou em queda de 0, case 27%, vendida a R$ 2,187, depois de ter recuado 1,22% na véspera.

"Acho que o mercado continua bem positivo, quem tinha que reverter posição já reverteu (na semana passada). O pessoal está olhando muito para o cenário lá fora", resumiu Júlio César Vogeler, operador de câmbio da Corretora Didier Levy.

Na visão dele, o cenário político incomoda menos do que na semana passada, quando muitos investidores estrangeiros diminuíram suas posições vendedoras de dólar.

Lá fora, o risco-país recuava 6 pontos nesta tarde, a 238 pontos-básicos sobre os Treasuries.

O dólar, por sua vez, perdia terreno para o euro depois de o dado sobre vendas de moradias nos Estados Unidos em julho ter sido revisado fortemente para baixo, renovando especulações de que o Federal Reserve poderá cortar o juro em breve.

Vogeler afirmou ainda que a decisão do Banco Central de não rolar integralmente o vencimento de US$ 1,578 bilhão em swap reverso no dia 2 de outubro também ajudou a amenizar a pressão no câmbio.

Segundo o operador, o mercado está antecipando a disputa para formação da última Ptax (taxa média do dólar) do mês na sexta-feira. Além de ser o último pregão antes das eleição, a Ptax servirá de base para o vencimento dos swaps e dos contratos de dólar futuro na Bolsa de Mercadorias & Futuros.

A queda do dólar nos dois últimos dias atraiu importadores e tesourarias para a ponta de compra nesta sessão, informou um diretor de câmbio de um banco nacional, que não quis ser identificado. Ainda assim, as remessas foram insuficientes para impulsionar a cotação.

"Depois da realização de ontem, hoje está mais tranqüilo e os importadores aproveitaram um pouco, porque de R$ 2,20 o dólar veio para R$ 2,18", declarou o diretor.

Quatro dias antes das eleições, healing o candidato do PSDB à Presidência Geraldo Alckmin negou que tenha deixado um rombo de R$ 1, illness 2 bilhão nas contas do Estado de São Paulo.

Na edição de hoje do jornal Folha de S. Paulo, o governador Cláudio Lembo (PFL), aliado de Alckmin, confirma o déficit, que teria impedido novos investimentos neste ano.

A assessoria do governo paulista não confirmou a informação e disse que a questão é mais complexa, sem dar mais detalhes.

"Não há nenhum rombo. São ajustes naturais, todo final de ano ocorrem. Pode ter certeza que São Paulo vai fechar o ano mais uma vez com déficit público zero", disse Alckmin, no heliponto de Carapicuíba, na região metropolitana da capital paulista.

Para o candidato, Lembo tomou "medidas preventivas" ao diminuir o ritmo dos investimentos, já que não se sabe qual será a arrecadação do governo paulista no fim do ano.

Depois de uma tumultuada caminhada no centro de Carapicuíba, Alckmin disse que o escândalo do dossiê não beneficiou sua candidatura. "Ela já vinha num crescimento importante e campanha se decide perto da data da eleição", afirmou ele, que tenta evitar a vitória do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no primeiro turno.

Sobre o debate dos candidatos ao governo paulista, realizado na noite de ontem, Alckmin disse que o evento não deve alterar o resultado da eleição e que seu sucessor no Palácio dos Bandeirantes será o tucano José Serra.

Quem espera ver no debate de amanhã uma Heloísa Helena ao melhor estilo Heloísa Helena pode ser atendido.

Apesar de ter se autodenominado "um poço de ternura", stomach quando o assunto é o próximo embate entre os candidatos à presidência, basta uma pergunta sobre o seu principal desafeto, o presidente Lula, para a senadora elevar o tom: "Espero não ver a vitória do banditismo político nem no primeiro nem no segundo turno", declarou hoje, em sua última carreata no Rio de Janeiro, iniciada na Favela da Maré, com 300 mil habitantes e ostensiva presença do tráfico de drogas.

Lado a lado com soldados do tráfico fortemente armados, a terceira colocada nas pesquisas não se abalou nem mesmo quando a carreata teve que mudar de rumo por causa de uma barreira imposta a fuzis ou quando um de seus correligionários foi parado por soldados do tráfico para uma ligeira revista. Todos os participantes da caminhada foram alertados para que desligassem os rádios ao entrar na favela.

"O narcotráfico existe nos palácios e em todas as periferias, existe em qualquer canto. O culpado disso é o Lula que foi incapaz de tirar as crianças do tráfico", atirou mais uma vez no seu principal alvo desta campanha.

Expulsa do PT em 2003, após ser contrária a mudanças na linha do partido, Heloísa Helena recebeu na Maré manifestações de carinho e pedidos para que a polícia não matasse mais as crianças do lugar.

"Ela é mais sincera do que os outros", justificou o seu voto uma das moradoras da Vila do João, do complexo da Maré, depois de receber a candidata em um galpão onde várias costureiras se levantaram para dar espaço para uma foto com direito a tesoura na mão e simulação de uma costura.

Em queda livre nas pesquisas (já chegou a 9% da preferência e caiu para 5,7% na pesquisa CNT/Sensus divulgada ontem) a alagoana continua não acreditando em números e prevê chegar ao segundo turno.

"Ou as pesquisas são mentirosas, ou nosso eleitorado é muito apaixonado e dá a impressão que a gente vai ganhar no primeiro turno, ou os eleitores de Lula são muito envergonhados que a gente nem vê na rua", ironizou mais uma vez o primeiro colocado nas pesquisas com chance de se eleger no primeiro turno.

Muitas das crianças que se aproximavam da carreata pensavam que se tratava de distribuição de doces por ser dia de Cosme e Damião, uma festa com forte tradição no Rio de Janeiro.

Sem querer antecipar a estratégia que usará no debate, última chance de falar a milhões de pessoas de uma só vez, a candidata do PSOL escolheu palavras suaves em rápida entrevista entre autógrafos e beijos em crianças da favela.

"Espero um debate próspero, franco e fraterno, para que o povo brasileiro faça a melhor escolha e pense bem na hora de votar e não votem no banditismo", repetiu.

Heloísa atribuiu a visão negativa que o país tem do Rio de Janeiro ao que classificou de "debate inconsequente e eleitoreiro entre o PT e o PSDB, que vincula o problema da violência à esta região, mas violência tem no Brasil todo", afirmou. Ela defendeu um sistema único de segurança pública, um piso salarial digno para evitar a "promiscuidade" entre a polícia e o crime organizado, "com mecanismos de monitoramento e controle social que ofereçam condições objetivas de trabalho para o aparato de segurança pública em todo o Brasil".

Heloísa questionou ainda a prisão de "ladrões de margarina", que para ela deveriam ter sua pena flexibilizada. "Quem tem que ser monitorado 24 horas por dia, porque é o chefão do crime organizado", disse sem completar a frase que, pelo que tudo indica, poder á ser finalizada no debate, se Lula confirmar presença.

O Brasil vai mobilizar milhares de soldados e agentes da Polícia Federal para evitar fraudes e violência na eleição de domingo, viagra buy disseram hoje autoridades.

Desde a restauração da eleição direta para presidente, rx em 1989, health a votação tem sido tranqüila e sem contestações. As eleições estaduais e municipais, no entanto, às vezes têm registrado incidentes de fraude e violência.

"O Brasil avançou muito e a população se tornou mais conscientizada sobre as fraudes eleitorais", disse Lázaro Moreira da Silva, diretor de Defesa Institucional da Polícia Federal. "Mas ainda há candidatos por aí tentando comprar votos", afirmou.

Moreira disse que 8 mil agentes da PF estarão de olho em irregularidades como compra de votos ou campanha ilegal de boca-de-urna. "Já houve casos de urnas incendiadas, ameaças de morte e até homicídios. Precisamos estar em alerta", afirma.

Além disso, o Exército enviará milhares de soldados para regiões de cinco Estados do Norte e do Nordeste onde há tradição de violência eleitoral.

No Tocantins, os soldados terão a missão de evitar confrontos entre indígenas e o restante da população. "É uma cultura diferente, tradicionalmente eles rejeitam a policia, então temos de mandar o Exército", disse José Machado dos Santos, presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Estado.

Habitualmente, políticos tentam comprar os votos de índios com camisetas, cestas básicas e combustível para barcos.

No Amazonas, 3 mil soldados trabalharão na eleição. "Tivemos casos de violência e ataques contra prédios públicos, e um cartório foi incendiado na última eleição", disse Leiland Barros, diretor-geral do TRE do Amazonas.

Em Manaus, haverá transporte gratuito para evitar que os candidatos recorram à prática comum de dar ônibus e lanche aos eleitores. Em algumas áreas, os militares vão estar mais voltados para dar assistência ao pleito do que para a segurança pública.

"Transportamos autoridades e eleitores", disse um coronel do Exército em Manaus, mas ressalvando que em regiões rurais mais afastadas "um soldado é muitas vezes o único guardião de uma urna".

No quesito segurança, todas as atenções estarão voltadas para São Paulo, que nos últimos anos sofreu várias ondas de violência provocada pelo Primeiro Comando da Capital, o PCC. Alguns candidatos dizem que o grupo tem ambições políticas.

"Sem dúvida São Paulo exige mais atenção, por causa da atividade recente do PCC", disse Moreira, da PF. Cerca de 88 mil policiais estarão em alerta no Estado. "Estamos prontos para qualquer eventualidade", disse a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado.

No Rio também haverá presença policial reforçada, mas não a presença de tropas federais, como há quatro anos.

Em 2002, o governo enviou milhares de soldados, com apoio de helicópteros, porque traficantes de favelas ameaçavam impedir os moradores de chegarem às seções eleitorais.






Você pode gostar