Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Bolsonaro recebe jornalista conservador dos EUA e diz que revelará ‘verdades’

O chefe do Executivo afirmou que a entrevista, que ainda não foi ao ar, mostrará ao mundo a “verdade” sobre o Brasil e sobre o seu governo

Bolsonaro no G20 Foto: Alberto PIZZOLI / AFP

O presidente Jair Bolsonaro (PL) recebeu, nesta quarta-feira, 29, no Palácio da Alvorada, o âncora e comentarista da Fox News americana Tucker Carlson, conhecido por sua posição conservadora na imprensa dos Estados Unidos.

O chefe do Executivo afirmou que a entrevista, que ainda não foi ao ar, mostrará ao mundo a “verdade” sobre o Brasil e sobre o seu governo, mas não deu mais detalhes. No ano passado, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (União Brasil) concedeu entrevista ao mesmo jornalista.

Durante a visita de Tucker ao Alvorada, o presidente presenteou o americano com um cocar característico de povos indígenas. Ambos posaram juntos para fotos e conversaram com apoiadores do governo na saída do Palácio.

Em seu programa na TV americana, Tucker defende que os Estados Unidos foram prejudicados pelo partido Democrata e enfraquecidos pelos recentes protestos contra o racismo, pelas autoridades de saúde durante a pandemia de covid-19 e por imigrantes. O apresentador alega que cresce o racismo “antibrancos” no país e é um dos defensores da teoria da Grande Substituição, que prega que grupos de elite tentam substituir os brancos por outras etnias.

Na terça-feira, 28, o jornalista afirmou que o Brasil é “a única grande economia do hemisfério Sul que continua pró-América”. O comentário foi feito enquanto ele entrevistava Filipe Martins, assessor especial da Presidência. Durante a conversa, Martins revelou que Bolsonaro fez críticas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em encontro com o presidente americano, Joe Biden, na Cúpula das Américas.

Também na terça-feira, Tucker afirmou que o governo Biden “está demasiadamente focado em conflitos no leste europeu” enquanto a América Latina “cai aos pedaços”, referindo-se às sucessivas derrotas que governos de direita vêm sofrendo na região.

Estadão conteúdo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar