Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Após cobrar informações sobre ritmo de vacinação, PGR quer saber de uso de verbas

Governantes receberam ofícios da PGR após a instalação da CPI da Covid no Senado, que vai investigar a atuação e possíveis omissões do governo Jair Bolsonaro na crise sanitária

Foto: Gil Ferreira/Agência CNJ

Além de terem sido cobrados pela Procuradoria Geral da República (PGR) a apresentar informações sobre o ritmo de vacinação contra a covid-19, todos os 27 governadores também deverão explicar o uso de verbas no enfrentamento da pandemia.

Os governantes receberam ofícios da PGR após a instalação da CPI da Covid no Senado, que vai investigar a atuação e possíveis omissões do governo Jair Bolsonaro na crise sanitária.

Foram requisitados esclarecimentos complementares depois que uma primeira leva de informações foi considerada ‘insuficiente’ ou ‘incompleta’ pela Câmara de Direitos Sociais e Fiscalização de Atos Administrativos em Geral do Ministério Público Federal.

Nos documentos, a subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo envia perguntas relacionadas, por exemplo, ao fechamento de hospitais de campanha montados para tratar pacientes com covid-19 e aos gastos com insumos e equipamentos das estruturas desativadas.

Lindôra também pede esclarecimentos sobre o uso de repasses federais, na linha das acusações feitas por Bolsonaro que, em guerra com governadores e prefeitos desde o início da pandemia, levantou desconfiança sobre supostos desvios de recursos da Saúde. No final de fevereiro, o presidente publicou nas redes sociais uma lista com valores enviados pela União para cada Estado em 2020.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A subprocuradora é braço direito do chefe do Ministério Público Federal, Augusto Aras, que vem sendo criticado nos bastidores da PGR por, na visão de adversários, tentar se cacifar para a vaga que será aberta no Supremo Tribunal Federal em julho, com a aposentadoria do decano Marco Aurélio Mello.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar