Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Gastronomia

Unesco inscreve sopa ‘borsch’ ucraniana em lista de patrimônio em perigo

Esta vitória culinária faz parte da ofensiva diplomática das autoridades ucranianas contra a Rússia, em resposta à invasão

Foto: Reprodução

A Unesco inscreveu nesta sexta-feira (1) a arte de cozinhar o “borsch” da Ucrânia, um tipo de sopa, em sua lista de patrimônio cultural em perigo, uma medida impulsionada por Kiev, mas veementemente contestada por Moscou.

“A cultura de preparação do borsch ucraniano foi inscrita hoje na Lista do Patrimônio Cultural Imaterial da Unesco, que requer medidas urgentes de salvaguarda”, disse a organização.

“A existência desta sopa (…) não está em perigo em si, mas é o patrimônio humano e vivo associado ao borsch que está em risco imediato, porque a capacidade das populações de praticar, transmitir o seu patrimônio cultural imaterial está seriamente perturbado em razão do conflito armado, em particular por causa do deslocamento forçado das comunidades”, explicou Pier Luigi Petrillo, relator do comitê de avaliação.

A Ucrânia apresentou em abril o pedido para incluir a cultura desta sopa na lista do patrimônio cultural imaterial em perigo, considerando que a invasão do país em 24 de fevereiro pela Rússia e os meses de bombardeios que se seguiram ameaçavam a “viabilidade” da tradição que envolve o prato.

Por causa da guerra, “a população não é mais capaz de preparar ou mesmo cultivar os vegetais locais que são necessários”, observou Petrillo.

O governo ucraniano saudou a decisão de reconhecer esta sopa à base de beterraba, que a Rússia também reivindica como prato nacional.

“A vitória na guerra do ‘borsch’ é nossa”, comentou o ministro da Cultura, Oleksandr Tkachenko, no Telegram, acrescentando que a Ucrânia “vencerá tanto na guerra do ‘borsch’ quanto nesta guerra”, referindo-se à invasão russa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“A Ucrânia vai partilhar a receita desta sopa de beterraba com todos os países civilizados, e mesmo com os não civilizados, para que tenham pelo menos algo leve, saboroso e ucraniano”, acrescentou.

A porta-voz do ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, denunciou e ridicularizou o “nacionalismo” ucraniano.

“A ucranização se aplica a tudo. O que vai vir agora? Os porcos serão reconhecidos como um produto nacional ucraniano?”, disse Zakharova, que acusou Kiev de “xenofobia”, “nazismo” e “extremismo” por sua politização do borsch.

Esta sopa à base de beterraba e repolho, muitas vezes acompanhada de creme de leite fresco, é muito popular na Europa Central e Leste.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

É comumente aceito que é de origem ucraniana.

Esta vitória culinária faz parte da ofensiva diplomática das autoridades ucranianas contra a Rússia, em resposta à invasão que custou a vida de milhares de civis e forçou milhões de pessoas ao exílio.

Perante a Comissão do Patrimônio da Unesco, o ministro da Cultura ucraniano defendeu o borsch como “um símbolo gastronômico da nossa identidade nacional”, presente “nas cidades destruídas e nos países que acolheram as populações ucranianas”.

© Agence France-Presse

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar