Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mundo

Talibãs pedem aos EUA que escute a ONU e libere fundos afegãos

Os Estados Unidos congelaram cerca de 9,5 bilhões de dólares de reservas do Banco Central afegão, o que representou metade do PIB

Taliban fighters patrol a street in Kabul on August 29, 2021, as suicide bomb threats hung over the final phase of the US military’s airlift operation from Kabul, with President Joe Biden warning another attack was highly likely before the evacuations end. (Photo by Aamir QURESHI / AFP)

Os talibãs pediram nesta sexta-feira (14) aos Estados Unidos que respondam “positivamente” ao pedido do secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, e desbloqueiem os fundos afegãos, congelados desde que os islâmicos tomaram o poder em agosto.

Na quinta-feira, Guterres pediu aos Estados Unidos e ao Banco Mundial que disponibilizem esses fundos já que, caso contrário, “o pesadelo vivido no Afeganistão” continuará aumentando, onde a fome castiga mais da metade da população.

“Os Estados Unidos devem responder positivamente ao apelo internacional e desbloquear os fundos afegãos”, afirmou nesta sexta-feira no Twitter o porta-voz do governo afegão, Zabihullah Mujahid.

Os Estados Unidos congelaram cerca de 9,5 bilhões de dólares de reservas do Banco Central afegão, o que representou metade do PIB do país em 2020.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial também suspenderam suas atividades no Afeganistão e bloquearam os auxílios.

No mês passado, o Banco Mundial arrecadou 280 milhões de dólares em um fundo dedicado ao Afeganistão para transferir à Unicef e ao Programa Mundial de Alimentos que operam no país, lembrou Guterres.

A economia afegã sobrevive graças à ajuda internacional, que representava 80% de seu orçamento nacional. Desde que os talibãs tomaram o poder, as finanças entraram em colapso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nos últimos meses, alguns fundos realmente foram desbloqueados, mas “temos que fazer ainda mais para injetar rapidamente liquidez na economia e evitar um colapso que levaria à pobreza e fome de milhões de pessoas”, disse Guterres.

Até o momento, os Estados Unidos ignoraram esses pedidos dos islâmicos, embora a fome no Afeganistão, segundo a ONU, ameace 23 milhões de pessoas – 55% de sua população.

A ONU anunciou na terça-feira que precisava de 4,4 bilhões de dólares de doações para financiar as necessidades humanitárias do Afeganistão em 2022.

*Agencia France Press

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar