Mundo

Júri condena Derek Chauvin pela morte de George Floyd

O ex-policial foi considerado culpado pela morte de George Floyd, em 25 de maio de 2020

Após três semanas de julgamento, o ex-policial americano, Derek Michael Chauvin, foi condenado nesta terça-feira (20) pelo homicídio de George Floyd.

De acordo com a decisão proferida por um júri, Chauvin foi considerado culpado pelo crime de homicídio culposo. No entendimento dos jurados, o ex-policial tinha conhecimento do risco ao imobilizar Floyd e colocar seu joelho no pescoço da vítima. Embora tenha sido condenado, a sentença para o caso só sairá em 8 semanas.

A promotoria encerrou o caso na semana passada, após convocar 38 testemunhas e reproduzir dezenas de videoclipes ao longo de 11 dias. Os advogados de ambos os lados apresentaram seus argumentos finais na segunda-feira, 19.

A acusação argumentou que Chauvin tirou a vida de Floyd, em maio do ano passado, ao ajoelhar sobre o pescoço do homem negro de 46 anos por 9 minutos e meio. A defesa disse que o agora ex-policial agiu de maneira razoável e que um problema cardíaco e o uso de drogas ilegais levaram à morte de Floyd.

Mais cedo, o presidente americano Joe Biden disse que havia falado com a família de Floyd na segunda-feira. “Só posso imaginar a pressão e a ansiedade que eles estão sentindo”, declarou.“Eles são uma boa família e estão clamando por paz e tranquilidade, não importa qual seja o veredicto”, disse Biden. “Estou rezando para que o veredicto seja o veredicto certo. Acho que será esmagador, na minha opinião”.

As escolas passarão para o ensino remoto no final desta semana, e as empresas foram fechadas por causa da potencial repercussão do veredicto.

O advogado da família Floyd comemorou o veredicto e considerou a decisão como ‘ponto de inflexão na História’. Após receber o resultado do julgamento, o ex-policial Derek Chauvin foi algemado e preso após os veredictos que o culpam pelo assassianto de George.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Apoiadores de George Floyd que estavam presentes nas proximidades do julgamento comemoram a decisão que condenou Chauvin.

Com agências






Você pode gostar