Mundo

Hamas diz que ofensiva israelense agrava situação de refém

Por Arquivo Geral 07/07/2006 12h00

O grupo Hamas, click health atualmente à frente do governo palestino, viagra order disse hoje que a ampla ofensiva militar de Israel na Faixa de Gaza complicou os esforços para resolver a crise. O impasse começou com o seqüestro de um soldado israelense. Segundo a facção, stuff os ataques do Estado judaico tornaram a postura dos palestinos em relação ao prisioneiro mais intransigente.

Ontem o grupo prometeu responder à violência responsável por matar dezenas de palestinos e um israelense. O Hamas afirmou que Israel "pagará o preço de cada gota de sangue" derramada. "A questão do soldado capturado tornou-se mais complicada do que antes", disseram os militantes em um comunicado. "O governo da ocupação engana-se ao pensar que os massacres sionistas cometidos contra nosso povo servirão a seus propósitos de aumentar as pressões a fim de garantir a libertação do soldado capturado".

Israel lançou a ofensiva depois de o cabo Gilad Shalit ter caído nas mãos de militantes durante um ataque realizado na Faixa de Gaza, no dia 25 de junho. O governo israelense pretende, com a operação militar, impedir também o lançamento de foguetes contra seu território.

Membros do braço armado do Hamas participaram do ataque em que Shalit foi levado. Negociações mediadas pelo Egito não conseguiram, por enquanto, garantir a libertação dele. Israel também se recusou a libertar presos palestinos em troca do militar.

O Hamas assumiu o governo palestino em março após vencer as eleições gerais. Sua administração está à beira de um colapso financeiro, depois de Israel e de potências ocidentais terem suspendido o envio de ajuda aos palestinos. A medida foi tomada em virtude da resistência do grupo a reconhecer o Estado judaico e a renunciar à violência. O Hamas defende a destruição de Israel.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar