Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mundo

Em sinal a Trump, China e Irã defendem manutenção de acordo nuclear com Teerã

Por Agência Estado 01/01/1970 4h00

Os ministros das Relações Exteriores de China e Irã pediram que os governos envolvidos não violem o acordo que limita a atividade nuclear iraniana em troca da retirada de sanções contra o país. As declarações aparentemente foram dirigidas ao presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump.

Durante visita a Pequim, o ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohammad Javad Zarif, disse que os sete países que concordaram em fechar o acordo em julho de 2015 “têm a obrigação de implementá-lo”. Zarif afirmou em entrevista coletiva que “o Irã não permitirá que qualquer país tome ação unilateral para violar o acordo e tem o direito de tomar ações contra isso”. Ele falou após reunião com o ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi.

O acordo, negociado entre Irã, EUA, China, Reino Unido, França, Alemanha e Rússia, estabeleceu o que o governo iraniano tinha de fazer para recuar em seu programa nuclear. Com isso, foram retiradas sanções financeiras, ao comércio e ao petróleo do país. O acordo entrou em vigor em janeiro e tem sido em linhas gerais respeitado. Trump, porém, disse que pretende renegociar os termos do pacto.

Wang disse que a “total implementação” do acordo entre o Irã e as seis potências é “a responsabilidade comum e compartilhada de todas as partes envolvidas” e que isso não deve ser afetado por qualquer mudança na situação doméstico dos países envolvidos. Fonte: Associated Press.

Fonte: Estadao Conteudo






Você pode gostar