Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mundo

Dirigente do Fed diz não descartar ‘pra sempre’ alta de 0,75 ponto nos juros

“Estou otimista de que há cenários econômicos positivos, mas o caminho será acidentado”, comentou

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

A presidente da distrital do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) em Cleveland, Loretta J. Mester, afirmou nesta terça-feira que considera adequado o ritmo atual de aperto de juros, mas que “não descarta para sempre” um eventual aumento de 75 pontos-base em uma das reuniões do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês). “Não quero descartar nada”, disse.

Em entrevista à Bloomberg TV, a dirigente ressaltou que não prevê a inflação nos Estados Unidos de volta à meta de 2% antes de 2024. Segundo ela, o arrocho monetário poderá ter que ser acelerado no segundo semestre se não houver sinais de arrefecimento dos preços. “Precisamos fazer o que for necessário para conter a inflação”, disse.

Loretta J. Mester acrescentou que a escalada nas expectativas inflacionárias torna mais difícil o processo de controle dessa tendência. De acordo com ela, alguns empresários estão preocupados que, a partir de certo ponto, já não conseguirão repassar a alta dos custos aos consumidores.

A dirigente reiterou que a taxa de desemprego poderá subir e que o Produto Interno Bruto (PIB) poderá voltar a ter contração, mas pontuou que isso seria parte inerente do combate à inflação. “Estou otimista de que há cenários econômicos positivos, mas o caminho será acidentado”, comentou, acrescentando que ainda vê “impulso positivo” na economia.

Loretta J. Mester, que vota nas reuniões do Fed este ano, também reforçou que a taxa básica de juros deverá subir além do nível neutro de cerca de 2,5%, embora ela não saiba o quanto. Atualmente, as Fed funds estão não faixa entre 0,75% e 1,00%.

Estadão Conteúdo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar