Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mundo

Campanha eleitoral começa em Portugal em meio a restrições por covid-19

A votação ocorre dois anos antes do previsto, depois que o Parlamento em novembro rejeitou o orçamento de Estado do governo minoritário socialista

portugal Foto: Getty Images

O período oficial de campanha de duas semanas para as eleições gerais de 30 de janeiro em Portugal começou neste domingo, mas não haverá nenhum dos grandes comícios geralmente associados à preparação para o pleito por causa da pandemia de coronavírus.

A votação ocorre dois anos antes do previsto, depois que o Parlamento em novembro rejeitou o orçamento de Estado do governo minoritário socialista para 2022 e o presidente do país, Marcelo Rebelo de Sousa, convocou eleições antecipadas.

O orçamento do Estado é particularmente importante agora porque define como serão gastos bilhões de euros em ajuda da União Europeia para se recuperar da pandemia.

A votação elegerá 230 parlamentares para a Assembleia Republicana, o parlamento de Portugal. Os parlamentares votarão então em quem forma um governo.

O Partido Socialista, de centro-esquerda, governa Portugal desde 2015 sob o governo do primeiro-ministro António Costa e, segundo pesquisas de opinião, devem angariar o maior número de votos.

Mas o partido pode novamente ficar aquém da maioria geral, forçando-os mais uma vez a buscar apoio de seus aliados de centro-esquerda, o Bloco de Esquerda e o Partido Comunista Português, para aprovar legislações no parlamento.

A eleição pode ver um aumento na influência de partidos menores, incluindo o populista Chega!, que ganhou um assento no parlamento em 2019, mas pode exceder em muito desta vez.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cerca de 89% da população portuguesa de 10,3 milhões de pessoas está totalmente vacinada contra a covid-19, e mais de 3,5 milhões de pessoas receberam doses de reforço, mas novos casos diários bateram recordes de cerca de 40 mil nas últimas semanas. O Ministério da Saúde registrou 38.136 novas infecções no sábado

Ainda assim, as internações têm permanecido muito inferiores aos surtos anteriores, e Portugal tem registrado em média cerca de 20 mortes por dia nas últimas semanas.

(Com Associated Press)

Estadão Conteúdo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar