Mundo

Blair defende Straw em polêmica sobre véu muçulmano

Por Arquivo Geral 10/10/2006 12h00

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, help pilule Tony Blair, prostate manifestou hoje apoio a seu ex-secretário Jack Straw, ailment que disse que as mulheres muçulmanas que se cobrem totalmente com véus dificultam as relações entre as comunidades.

Numa entrevista, Blair declarou que Straw havia levantado uma questão importante, de um "modo sensato e pensado".

O escritor Salman Rushdie, que passou anos refugiado quando foi condenado à morte por ter escrito o livro "Os Versos Satânicos", disse que Straw estava "manifestando uma opinião importante, que os véus são ruins, e são mesmo". "Acho que o véu é uma forma de tirar poder das mulheres", disse Rushdie à Rádio BBC. "Acho que a batalha contra o véu é uma longa e constante batalha contra a limitação das mulheres".

Na semana passada, Straw disse que gostaria que as mulheres não se cobrissem inteiramente com os véus, porque ao fazer isso elas agem como "uma declaração visível de separação e diferença". Ele afirmou que pede às mulheres encobertas que mostrem o rosto, se houver outras mulheres junto.

O governo britânico vem tentando combater a radicalização entre o 1,8 milhão de muçulmanos que vivem no país, principalmente depois dos ataques contra o sistema de transporte londrino, no ano passado, em que 52 pessoas morreram.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Blair não respondeu diretamente à pergunta feita pela BBC se ele também gostaria que as mulheres retirassem os véus quando falam com ele. "Acho que, no fim das contas, é uma questão de elas escolherem o que querem fazer", disse. "Mas acho que o motivo de Jack ter tocado no assunto é que essas são questões sobre as quais as pessoas têm posições veementes. Como ter certeza de que as pessoas não estão tentando se distinguir do resto da sociedade? Portanto é um debate difícil e espinhoso, como vimos nos últimos dias, mas acho que ele levantou o assunto de forma sensata e pensada".

As declarações de Straw causaram revolta em grupos de muçulmanos e foram aplaudidas por jornais direitistas. Outros ministros de Blair disseram que não pediriam às mulheres que mostrassem o rosto.

Diferentemente de outros países europeus, como a França, que limitou o uso de lenços nas escolas, a Grã- Bretanha não costuma estabelecer restrições às vestimentas islâmicas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Straw deixou o cargo de ministro das Relações Exteriores este ano, mas permaneceu no gabinete como líder da Casa dos Comuns.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar