Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Economia

Valor exportado e saldo da balança foram os melhores para meses de novembro, diz MDIC

A expectativa do MDIC é de que 2023 encerre com saldo comercial recorde, de US$ 93 bilhões

Foto: reprodução/ Agência da Industria

O diretor de Estatísticas e Estudos de Comércio Exterior do Ministério de Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Herlon Brandão, disse que o valor exportado (US$ 27,8 bilhões) e o saldo da balança do último mês (US$ 8,8 bilhões) foram os melhores para meses de novembro. Em relação ao saldo, foi um avanço de 41,5% na comparação com igual período em 2022.

O mesmo aconteceu com as vendas e o saldo no acumulado do ano, que já está em US$ 89,3 bilhões, 56% maior que o dado registrado entre janeiro e novembro do ano passado.

A expectativa do MDIC é de que 2023 encerre com saldo comercial recorde, de US$ 93 bilhões.

No último mês, mais uma vez o destaque foi o volume exportado, que cresceu 5,1%, enquanto os preços caíram 4%. Já nas importações, houve queda tanto de volume (-1,8%) como de preços (-9%).

Sobre a retração nos preços das vendas, Brandão destacou a performance dos óleos brutos de petróleo, em que, embora o volume exportado tenha crescido, o preço recuou 8,2%. Em contrapartida, o minério de ferro, cujos custos vinham registrando quedas, apresentou uma variação positiva nos preços de 20,7% em novembro, com 5,6% de aumento também no volume exportado.

O diretor de Estatísticas e Estudos de Comércio Exterior do MDIC ainda destacou que a média diária das exportações brasileiras tem apresentado um comportamento muito similar com a performance do ano passado. A diferença é que, em 2023, os embarques brasileiros são favorecidos pelo volume de vendas, enquanto que, em 2022, a composição era beneficiada pelo fator preço.

Projeções para 2024

Herlon Brandão afirmou ainda ser natural que as expectativas para o saldo da balança comercial de 2024 não sejam tão robustas quanto o número esperado para este ano, quando o dado deve bater recorde.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Brandão observou que o MDIC ainda não tem uma previsão fechada para o próximo ano, já que os modelos serão rodados agora em dezembro, mas observou que as projeções do mercado são condizentes com o cenário que se apresenta para 2024.

O diretor de Estatísticas e Estudos de Comércio Exterior do MDIC citou, por exemplo, a expectativa de redução na safra frente a 2023, além da demanda externa menos aquecida, influenciada pelo alto nível das taxas de juros praticadas nos países desenvolvidos para controle da inflação.

US$ 1 trilhão

Brandão ainda foi questionado sobre o número frequentemente citado pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que repetiu nos últimos dias o “sonho” de que a balança comercial brasileira chegue a US$ 1 trilhão.

Segundo o técnico do MDIC, o número não faz parte de uma projeção da pasta, se tratando mais de um “desejo de governo”, explicando ainda que provavelmente o dado citado se refere ao dado da corrente comercial, que no acumulado de 2023 está em US$ 531,9 bilhões.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Estadão Conteúdo






Você pode gostar