Economia

Petrobras vê momento favorável para negociações com Bolívia

Por Arquivo Geral 26/09/2006 12h00

A crise no abastecimento interno de combustíveis na Bolívia e a queda do preço do gás no mercado internacional devem facilitar as conversas que estão sendo iniciadas hoje entre a Petrobras e a estatal boliviana YPFB, pills link avaliou o diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa.

Segundo ele, a falta regional de combustíveis pode ter, inclusive, motivado a retomada das reuniões, que terão como tema a nacionalização das reservas da Bolívia, feita em 1º de maio.

Serão discutidas a desapropriação das refinarias da Petrobras, as atividades de exploração e produção de petróleo e gás da estatal brasileira no país vizinho, e o preço do gás.

Barbassa explicou que, em relação à exploração e produção, já aceitou um aumento de imposto para 82% da produção. Segundo ele, com os 18% restantes é possível pagar os custos de produção. "Só não sobra para investir", disse Barbassa após almoço para executivos de finanças.

Sobre as refinarias, Barbassa prevê que as negociações serão mais tranquilas agora, após a mudança do ministro de Hidrocarbonetos no país vizinho. "O sentido da mudança nos indica que os problemas serão menores agora".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já sobre o preço do gás vendido da Bolívia para o Brasil e sobre o qual a YPFB reivindica aumento além de um contrato firmado em 1999, o diretor da Petrobras afirmou que com a queda do preço do gás no mercado internacional, fica claro que o preço praticado pela Petrobras é justo.

"O argumento deles agora fica mais frágil porque o preço internacional se tornou menor do que nós pagamos", disse Barbassa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar