Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Economia

Governo vai liberar lote do auxílio emergencial neste mês

A pasta afirma que os resultados dos recursos de quem teve a sétima -e última- parcela negada serão divulgados individualmente

Por FolhaPress 22/11/2021 9h22
Foto: Agência Brasil

Flavia Kurotori
SÃO PAULO, SP

O Ministério da Cidadania vai liberar ainda neste mês o resultado das contestações referentes ao batimento mensal da última parcela do auxílio emergencial, cujo pagamento regular terminou na sexta-feira (19). A pasta afirma que os resultados dos recursos de quem teve a sétima -e última- parcela negada serão divulgados individualmente e os pagamentos das contestações aceitas pelo governo também devem ser efetuados até 30 de novembro.

Veja como consultar o resultado da contestação

1 – Acesse a plataforma ‘Consulta Auxílio Emergencial 2021’, do Ministério da Cidadania
2 – Preencha os campos com o número do CPF, o nome completo, o nome da mãe (ou clique no campo ‘Mãe Desconhecida’) e a data de nascimento
3 – Selecione a opção ‘Sou humano’
4 – Clique em enviar e selecione as imagens verificadoras
5 – A seguir, vai aparecer o estágio da solicitação

O pagamento da última cota do benefício começou a ser paga ao público do Bolsa Família em 18 de outubro e para os demais trabalhadores –informais, autônomos, desempregados e MEIs (Microempreendedores Individuais)–, a grana foi liberada para saque em 1º de novembro.

A parcela da fase de 2021 do auxílio emergencial variou de R$ 150, para pessoas que moram sozinhas, a R$ 375, que é o caso de mães que são as chefes da família. Os demais inscritos receberam R$ 250. O programa contemplou famílias com renda, por pessoa, de até meio salário mínimo (R$ 550) e renda mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.300). Para o público do Bolsa Família, era pago o benefício mais vantajoso, seja pelo próprio programa de transferência de renda ou o auxílio.

Sem a prorrogação do auxílio emergencial, a estimativa é que ao menos 22 milhões de pessoas ficaram sem receber qualquer benefício. A estimativa é que dos 25,1 milhões de trabalhadores que receberam a ajuda de custo na pandemia, 90% estão sem qualquer auxílio.

Já quem era do Bolsa Família começou a receber, automaticamente, na última quarta-feira (17) por meio do programa Auxílio Brasil. No entanto, as demais pessoas que não integravam o programa de transferência de renda ainda não sabem se vão receber alguma assistência.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As famílias que atendem aos requisitos devem estar inscritas e manter os dados atualizados no CadÚnico para tentar receber a grana. A partir disso, o Ministério da Cidadania vai selecionar novos beneficiários para o programa mensalmente. Clique aqui e veja como consultar o Auxílio Brasil.








Você pode gostar