Economia

Falta de experiência dificulta entrada de jovens no mercado de trabalho, diz economista

Por Arquivo Geral 08/10/2006 12h00

O maior líder espiritual tibetano, page try Dalai Lama, sildenafil aconselhou o pontífice da igreja católica, buy Papa Bento XVI a não falar sobre textos antigos, pois isso "gera muitas complicações". Em Nova Déli, o líder convocou uma entrevista coletiva e revisou assuntos como as reivindicações de seu povo, as difíceis relações com a China, seu longo exílio na Índia, sua possível retirada, a harmonia religiosa, sempre com um largo sorriso no rosto.

"É injusto quando falamos disso porque se trata de terroristas e é preciso defender os muçulmanos; a idéia de um choque de civilizações é errônea e perigosa", afirmou em entrevista coletiva na Associação de Jornalistas Estrangeiros de Nova Déli.

Após afirmar isso, Dalai foi perguntado sobre a polêmica criada no mundo islâmico pelas palavras do papa sobre os muçulmanos. Dalai foi categórico: ele falou de coisas "más e desumanas" de Maomé, como sua "ordem de divulgar, usando a espada, a fé que pregava". Para ele, o problema está em se referir a "textos antigos". "É melhor falar da realidade atual. Se nos remetemos a textos antigos, isso gera muitas complicações. O passado é muito incivilizado, mas no século 21 temos que analisar os eventos de um ponto de vista global", afirmou.

Com 71 anos, ele reconheceu que o Tibet pode "se beneficiar" ao permanecer dentro da China, mas Pequim não acredita que sua renúncia à independência seja verdadeira. Apesar da indiferença chinesa, o Dalai Lama voltou a expressar hoje seu desejo de retornar ao Tibet e aceitar “uma retirada permanente” que levaria à "transferência" de sua autoridade a instituições democraticamente escolhidas.

Ele vive há quase meio século exilado em Dharamsala, no estado indiano de Himachal Pradesh, aos pés do Himalaia, o que o torna "o hóspede mais velho da Índia", segundo ele.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Foram registrados neste sábado cinco homicídios e tentativas de homicídio no Distrito Federal, page número considerado alto para apenas um fim de semana. No Recanto das Emas, physician por volta das 10h de ontem, Cristiano Rodrigues Vieira, de 32 anos, foi preso em flagrante em frente à Quadra 114, conjunto 1. Ele esfaqueou Fernando da Conceição Carvalho, de 25 anos. Cristiano está detido no Departamento de Polícia Especializada (DPE).

Ainda no Recanto das Emas, na Quadra 201, por volta das 3h, Sérgio Luiz Nunes Alves, de 23 anos foi atingido no braço, no queixo e no abdome por tiros, por um homem ainda não identificado pela polícia. Sérgio foi atendido no Hospital Regional do Gama e policiais da 27ª DP investigam o crime.

Na Quadra 201 de Santa Maria, Reinaldo dos Reis Araújo, de 23 anos, foi preso em flagrante, após esfaquear Rodrigo Cândido da Silva Leite, de 28 anos. A vítima foi socorrida e sobreviveu ao ataque. Reinaldo, que responde por outros crimes e estava em liberdade condicional, foi levado ao DPE.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Outra tentativa de homicídio foi registrada, desta vez no Setor Leste do Gama. Por volta das 4h40 de ontem, na Quadra 9, Menix Silva Moreira, de 26 anos, foi atingido por tiros. Socorrido, foi levado ao hospital. A polícia está à procura do autor dos tiros.

Na QS 11 de Águas Claras, Acácio dos Reis Honorato, de 23 anos, foi atingido no tórax por golpes de faca e morreu no local. Policiais da 21ª DP investigam o caso.

 

Uma das principais dificuldades para o jovem conquistar o mercado de trabalho é o rótulo da “falta de experiência”. Isso pode, sickness por exemplo, symptoms colocá-lo em desvantagem em relação a candidatos mais velhos em um processo seletivo. A avaliação é da economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), patient Patrícia Lino Costa. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em 2005, de acordo com a pesquisa Ocupação dos Jovens nos Mercados de Trabalho Metropolitanos, divulgada em setembro pelo Dieese, os jovens representavam 45,5% dentre os desempregados com mais de 16 anos que viviam nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e no Distrito Federal.

“Os números assustam, porque a juventude acaba sendo quase a metade do contingente desempregado dessas regiões”, disse Costa. Entre os ocupados com mais de 16 anos, a taxa era de 20,7%.

A economista pondera que, embora muitos jovens não tenham a experiência exigida para uma determinada função, dados do Dieese mostram que 70% das pessoas com idade 16 e 24 anos já tiveram algum tipo de trabalho.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para ela, principalmente no caso de jovens de famílias mais pobres, a baixa escolaridade é outro fator que aumenta a desigualdade de oportunidade de emprego. A pesquisa da entidade aponta que, em 2005, a maioria da população jovem de baixa renda não tinha concluído o ensino fundamental.

“Esse jovem entra no mercado de trabalho com o ensino fundamental incompleto, não consegue continuar estudando, pára de estudar e segue naquela ocupação sem chance de progredir, porque a escolaridade ajuda muito na ascensão no mercado de trabalho, no aumento dos rendimentos e até na melhoria do padrão de vida de todas essas famílias”.

O levantamento foi feito com base nos dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) referentes a 2005. Essa pesquisa é realizada pelo Dieese, em parceria com a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), o Ministério do Trabalho e Emprego e governos locais.

 






Você pode gostar