Economia

Dívida pública brasileira sobe para R$ 1,12 trilhão

Por Arquivo Geral 25/10/2007 12h00

A dívida líquida do setor público brasileiro fechou setembro em R$ 1, ailment 12 trilhão, find com um aumento equivalente a R$ 24 bilhões em relação a agosto, segundo números divulgados hoje pelo Banco Central (BC) do Brasil.

Este saldo líquido equivalia em setembro a 43,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, contra um 43% em agosto, segundo a informação.

A proporção entre o que o país deve e o que sua economia produz ainda alta, embora tenha caído significativamente nos últimos anos graças à expansão do PIB e não à redução da dívida.

O BC atribuiu o aumento da dívida líquida total ao efeito da valorização do real frente ao dólar (de 14% este ano), que encarece o pagamento de juros e eleva a conta do PIB medido em dólares.

No final de setembro o vencimento da dívida pública denominada em papéis de mercado (bônus e títulos) incluía R$ 79 bilhões para o resto de 2007.

Outros R$ 322 bilhões vencem em 2008 e R$ 800 bilhões, a partir de janeiro de 2009.

O Banco Central também informou que em setembro o setor público obteve um “superávit primário” de R$ 3,6 bilhões.

Este saldo positivo representa a quantidade de dinheiro que o Governo economizou para destiná-lo ao pagamento de juros da dívida.

Com esse resultado o superávit acumulado do ano chegou a R$ 91,2 bilhões, equivalente a 4,9% do PIB.

Segundo analistas, isto significa que o Governo de Luiz Inácio Lula da Silva manteve sua rígida política fiscal e conseguiu economias importantes no gasto público para cumprir amplamente suas metas de superávit primário.

Tanto a relação da dívida com relação ao PIB como o tamanho do superávit primário são para os investidores indicadores de primeira linha sobre a capacidade do Brasil para economizar seus compromissos com os credores.






Você pode gostar