Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Economia

Caixa libera novo saque da 3ª parcela do auxílio

Trabalhadores informais recebem as parcelas de acordo com a data de nascimento, enquanto os beneficiários do Bolsa Família recebem conforme o último dígito do NIS

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Nesta segunda-feira (5), a Caixa Econômica Federal (Caixa) libera o saque da terceira parcela do auxílio emergencial para trabalhadores nascidos em março. É a penúltima parcela do benefício, com valores que variam de R$ 150 a R$ 375, a depender da condição da família contemplada. O valor já havia sido depositado no dia 20 de junho, em conta digital no aplicativo Caixa Tem. A partir de hoje, também será possível realizar o saque do benefício.

Os trabalhadores informais recebem as parcelas de acordo com a data de nascimento, enquanto os beneficiários do Bolsa Família recebem conforme o último dígito do Número de Inscrição Social (NIS). Para os grupo do Bolsa Família, o saque fica disponível no mesmo dia.

A última parcela do auxílio será paga a partir de 16 de julho, no entanto, ainda há a possibilidade do Governo Federal prorrogar o programa por mais três meses, estendendo-o até novembro. Na quinta-feira (dia 1°), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que cogita prorrogar o benefício por mais dois ou três meses.

O auxílio emergencial 2021 possui quatro parcelas, com valores de R$ 150, R$ 250 ou R$ 375, dependendo da família e limitado a um benefício por família. Os beneficiados desse ano são pessoas que já estavam cadastradas no auxílio emergencial de 2020. No entanto, a lista de beneficiários possui 22,6 milhões de pessoas a menos do que no ano passado, já que o governo tornou os critérios mais rígidos.

Critérios

Pode receber o auxílio quem:

  • recebeu o auxílio emergencial em 2020;
  • é trabalhador informal ou beneficiário do Bolsa Família;
  • tem renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300);
  • tem renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 550).

Não têm direito:

  • trabalhadores formais, com carteira assinada
  • quem recebe benefício do INSS ou de programa de transferência de renda federal
  • quem recebeu o auxílio em 2020, mas não sacou nem usou o dinheiro
  • quem estiver com auxílio emergencial 2020 cancelado no momento da análise cadastral do novo auxílio
  • residentes médicos, multiprofissionais, beneficiários de bolsas de estudo, estagiários e similares
  • pessoas com menos de 18 anos, exceto mães adolescentes
  • presidiários
  • quem teve rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019
  • quem tinha em 31 de dezembro de 2019 a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua,
  • de valor total superior a R$ 300 mil quem recebeu em 2019 rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte superior a R$ 40 mil

Quem desejar se informar a respeito da condição do cadastro no programa pode acessar três canais distintos:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
  • Telefone 111.

Valor do benefício

Para quem mora sozinho: R$ 150

Famílias com mais de uma pessoa e que não são chefiadas por mulheres: R$ 250

Famílias chefiadas por mulheres: R$ 375

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar