Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Rio libera uso de praias e cachoeiras apenas de segunda a sexta

No início do mês, bares e restaurantes puderam reabrir, ainda que com limitações. Também voltaram a funcionar atrações turísticas, como o Aquário do Rio, a roda gigante na região portuária e a visitação ao Cristo Redentor

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Waleska Borges
Rio de Janeiro, RJ

Um decreto do prefeito Eduardo Paes (DEM) publicado nesta sexta-feira (23) no Diário Oficial flexibilizou algumas medidas de restrição de circulação no Rio de Janeiro. Com isso, o banho de mar e a permanência em praias, parques e cachoeiras estão liberados nos dias úteis. A proibição se mantém nos finais de semana, como forma de evitar o aumento de casos de Covid-19.

No início do mês, bares e restaurantes puderam reabrir, ainda que com limitações. Também voltaram a funcionar atrações turísticas, como o Aquário do Rio, a roda gigante na região portuária e a visitação ao Cristo Redentor.

As novas regras entram em vigor neste sábado (24) e valem até o dia 3 de maio. De acordo com o decreto, ambulantes e barraqueiros também estão autorizados a trabalhar nas praias durante os dias úteis.

Atividades não essenciais podem funcionar até as 22h, com 40% da capacidade em locais fechados. Os estabelecimentos não podem permitir aglomerações nem formar filas de espera. Também estão liberados lojas e serviços em shoppings, centros comerciais e galerias.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ainda será proibido ficar na rua e em locais públicos durante a madrugada. Não são permitidos eventos e festas em áreas públicas e particulares, e permanece vetada a entrada de ônibus e demais veículos de fretamento no município, exceto aqueles que prestem serviços.

“Essa é uma transação gradual. Precisamos ter muita cautela nesse processo. A recomendação é que as pessoas evitem ao máximo as exposições desnecessárias”, disse o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz. “A gente entende que, espaços abertos, áreas de exercício físico são fundamentais para manter as pessoas saudáveis. Mas é uma transição. Se a gente perceber qualquer tipo de aglomeração em bares, restaurantes ou áreas de lazer, obviamente a gente terá que retroceder.”

O secretário municipal de Fazenda e Planejamento, Pedro Paulo Carvalho, disse que há uma segurança da prefeitura de fazer esses ajustes nas regras.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Os números mostram uma mudança positiva na curva em nossos atendimentos de emergência. Ainda que se mantenha uma quantidade de internação em cerca de 1.400 e 1.500 pacientes com coronavírus, nós temos uma diminuição muito grande da fila de espera. Nós chegamos ao pico dessa terceira onda em mais ou menos 700 a 800 pessoas na fila de espera. Ontem [quinta-feira], nós tínhamos cerca de 30 pessoas à espera de leitos”, afirmou Carvalho.

As informações são da FolhaPress

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar