Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Piquet muda discurso após usar termo racista e afirma que ‘não disse nada de errado’

Segundo ele, nada de errado foi dito e não há preocupação quanto ao assunto, uma vez que se refere a amigos brancos da mesma maneira

Por FolhaPress 05/07/2022 3h58

Dias depois de se desculpar por usar o termo “neguinho” para se referir ao piloto Lewis Hamilton, Nelson Piquet voltou a se pronunciar quanto ao assunto ao participar do evento ‘Le Mans Classic’, que aconteceu na França no último sábado (2).

Segundo ele, nada de errado foi dito e não há preocupação da parte dele quanto ao assunto, uma vez que se refere a amigos brancos da mesma maneira.

“Isso é tudo besteira, eu não sou racista. Não há nada, nada que eu disse errado. O que eu disse é uma palavra muito suave e até a usamos para alguns de nossos amigos brancos. Eu usei essa palavra quase um ano atrás na entrevista e eles inventaram isso. Isso me causou alguns problemas, mas para ser honesto com você, eu realmente não me importo”, disse o ex-piloto.

Em novembro de 2021, Nelson Piquet concedeu entrevista ao jornalista Ricardo Oliveira e, ao falar sobre acidente entre Hamilton e Verstappen no GP de Silverstone em 2021, se referiu ao piloto inglês como “neguinho”, termo que é considerado racista.

“O neguinho meteu o carro e não deixou (Verstappen desviar). O neguinho deixou o carro porque não tinha como passar dois carros naquela curva. Ele fez de sacanagem”, afirmou Piquet, que é sogro de Max Verstappen.
Apesar da publicação do vídeo datar do último ano, a fala veio à tona somente na última semana, gerando grande repercussão nas redes sociais.

Hamilton se manifestou nas redes sociais e também falou sobre o assunto em entrevistas ao longo do final de semana, dizendo que essas são ‘mentalidades arcaicas’ e que precisam ser mudadas.

Diante de tudo o que ocorreu, Piquet se manifestou através de um comunicado pedindo desculpas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“O que eu disse foi mal pensado, e eu não vou me defender por isso, mas eu vou deixar claro que o termo é um daqueles largamente e historicamente usados de forma coloquial no português brasileiro como sinônimo de ‘cara’ ou ‘pessoa’ e nunca com intenção de ofender. Eu nunca usaria a palavra que estou sendo acusado em algumas traduções. Condeno veementemente qualquer sugestão de que a palavra tenha sido usada por mim com o objetivo de menosprezar um piloto por causa de sua cor de pele. Eu me desculpo com todos que foram afetados, incluindo Lewis, que é um grande piloto, mas a tradução em algumas mídias e que agora circula nas redes sociais não é correta. Discriminação não tem espaço na F1 ou na sociedade e estou feliz em deixar claro meus pensamentos sobre isso”, disse.

Apesar das críticas e mesmo com o pedido de desculpas, Piquet foi denunciado ao MP pela utilização do termo racista. Fora do Brasil, Nelson recebeu o apoio de Bernie Ecclestone, ex-chefão da Fórmula 1.

Segundo o britânico, Hamilton não deveria levar tão a sério as declarações do ex-piloto brasileiro, já que, de acordo com ele, é um termo normal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar