Brasil

Jovens de Brasília acusados de matar garçom em Porto Seguro vão a júri

Por Arquivo Geral 29/09/2006 12h00

O ajudante de pedreiro Leandro Vitoriano, what is ed clinic 20 anos, page cheapest morreu depois de cair de uma tirolesa no parque Vale Encantado, em Biritiba-Mirim, região metropolitana de São Paulo.

O acidente ocorreu na quarta-feira. Suspenso sobre um lago, o jovem caiu e morreu ao bater a cabeça no fundo.

A família da vítima acusa o parque de não pretar socorro nem oferecer equipamentos de segurança adequados. Os familiares também questionam a profundidade do lago, considerada por eles rasa demais para a atividade.

A direção do parque diz que a profundidade do lago é adequada e que a morte ocorreu porque Leandro fez uso incorreto do equipamento.

Os cinco jovens de Brasília que espancaram e mataram o garçom Nelson Simões dos Santos, web em Porto Seguro (BA), approved serão levados a júri popular. Por unanimidade, a 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Bahia negou recurso apresentado pela defesa dos acusados contra o Ministério Público.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Relator do processo, o desembargador Gilberto Caribé não acatou as alegações dos advogados de falta de provas da autoria individual dos réus e da ausência de nexo causal entre o espancamento e a morte. A Justiça também rejeitou a mudança da acusação de homicídio doloso (com intenção) para lesão corporal seguida de morte.

O julgamento ainda não tem data confirmada. O crime ocorreu em outubro de 2002, quando o garçom, de 39 anos, foi agredido com socos, pontapés e cadeiradas, após discutir com os jovens no restaurante onde trabalhava, na Passarela do Álcool, um dos principais pontos turísticos do município.

Na ocasião, outros dois adolescentes, também de Brasília, foram detidos. No entanto, eles não foram processados. Em fevereiro de 2003, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu habeas corpus a dois dos acusados. O juiz Cássio José Barbosa Miranda, da Vara Criminal de Porto Seguro, estendeu a medida aos outros três jovens.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A discussão começou porque o grupo ocupava o estabelecimento, mas consumia bebidas de outra barraca. O garçom se aproximou e sugeriu que os estudantes se retirassem para ceder o lugar a clientes que aguardavam uma mesa.






Você pode gostar