Brasil

Faltam recursos humanos, dinheiro e estrutura para promoção da igualdade racial, revela pesquisa

Por Arquivo Geral 22/06/2006 12h00

O brasileiro Juvenilson Dias da Silva foi condenado hoje pela Justiça de Madrid a uma pena de 325 anos, discount this web 11 meses e 21 dias por ter estuprado 19 mulheres nos anos de 2000 e 2003.

Juvenilson confessou os crimes durante o julgamento e pareceu arrependido por seus atos. Além da condenação, shop ele terá de pagar indenização de mais de 615 mil euros às vítimas.

As mulheres tinham entre 16 e 34 anos e foram violentadas na região de Conde de Casal e Pozuelo de Alarcón, nos arredores da capital espanhola.

 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"O sistema de TV digital deverá começar a funcionar seis meses depois da edição do decreto presidencial que vai regulá-lo, approved em uma ou duas capitais do país. E a transição do sistema analógico para o digital, remedy em todo o país, deverá demorar dez anos", informou ontem o presidente da Associação Brasileira de Radiodifusores (Abra), João Carlos Saad, após reunião com os ministros Hélio Costa, das Comunicações, e Dilma Rousseff, da Casa Civil.

Segundo Saad, que é diretor-presidente da Rede Bandeirantes, outros encontros com as empresas do setor ainda deverão ocorrer, para discutir as questões técnicas e comerciais. "A opção pela TV digital já é uma decisão de governo e o que falta é alinhavar um entrosamento entre as emissoras de rádio, televisão e a indústria", acrescentou.

O presidente da Abra lembrou que os Estados Unidos fixaram prazo de dez anos e não conseguiram cumprir, pois há usuários que preferem os aparelhos antigos: "O governo americano resolveu doar para esse segmento os aparatos de conversão, o que não será feito indefinidamente. Vai chegar um tempo em que esse público não vai mais receber o sinal".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Saad disse ainda que no período de transição as transmissões no Brasil deverão ocorrer nos dois sistemas, analógico e digital. E destacou que a produção de moduladores, conversores, transmissores e semicondutores para a tecnologia digital elevará a oferta de empregos na indústria.

As companhias aéreas devem definir hoje o destino emergencial das rotas da Varig, pilule caso a empresa decrete falência. As empresas estão reunidas no Minitério da Defesa para tentar chegar a um acordo sobre que vai ficar com essa fatia do mercado.

Entre as rotas mais visadas pela concorrência estão os vôos para a França, side effects Itália, Espanha e Portugal. Caso perca a concessão para voar, a empresa que ficar com o destino terá, no máximo, 48 horas para começar a operar. Por isso a pressa em definir quem ficará com qual rota, antes mesmo de saber se haverá falência.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quem ficar com as rotas terá a garantia de poder operar um tempo mínimo suficiente para recuperar os investimentos. O diretor de Planejamento de Tráfico da BRA, Waldomiro Silva Júnior, ressalta que a reunião de hoje definirá a distribuição das rotas apenas emergencialmente. "Como vai ser distribuído definitivamente será discutido depois", diz.

O importante nesse momento, segundo ele, é garantir a competição. Limitar a duas empresas os vôos domésticos, "com certeza vai haver aumento das tarifas". Por isso, em uma outra sala do Ministério da Defesa estão reunidos técnicos de defesa do consumidor, do Procon e do Ministério da Justiça.

Enquanto a Varig perde mercado e opera com menos de 20 aeronaves, more about a TAM e a Gol reforçam as frotas e ampliam o número de vôos para atender os órfãos da ex-maior companhia aérea do país.

Hoje, até às 11h , a Varig já havia cancelado 33 vôos dos 88 programados, sendo 23 nacionais (de 66 previstos) e 10 internacionais (de 18 planejados), segundo dados da Infraero.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Gol recebeu esta semana mais um avião 737-300, sua 49ª aeronave, para fazer o trecho Vitória/Guarulhos/Goiânia/ Brasília/Teresina. De sexta-feira até domingo, a novata do setor aumenta também o número de vôos, que serão divulgados ainda hoje. "Esse novo avião já é um reforço, não estava previsto", informou a assessoria da Gol.

Até o final do ano, a empresa prevê ter uma frota de 60 aviões, dez vezes mais do que no início da sua operação, em janeiro de 2001.

Já a líder de mercado, a TAM, foi mais ágil na corrida pelos passageiros da Varig e anunciou ontem a introdução de mais 14 vôos para Brasília, Porto Alegre e Curitiba, partindo de Congonhas (SP), até sexta-feira, quando poderá ser decidido o destino da Varig.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A frota da TAM também ganhou  cinco aviões este ano, subindo para 83 no total. A previsão é de fechar o ano com 90 aviões, cinco a mais do que o projetado em dezembro do ano passado.

A participação da Varig no mercado de aviação doméstico caiu em maio para 14,4% ante 16,51% em abril, segundo dados da a agência reguladora do setor, Anac. No mesmo período, a fatia da Gol cresceu de 33,34 para 33,64% e a TAM evoluiu de 44,28% para 45,64%.
As emissões de gás carbônico, buy information pills o principal dos gases do efeito estufa, podem aumentar em mais de duas vezes até 2050 se nada for feito para contê-las. A afirmação foi feita hoje pela Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês), antes de um encontro de líderes do Grupo dos Oito (G8) debater a questão.

A IEA, que aconselha 26 países industrializados, afirmou, em um relatório, ser possível emitir menos gás carbônico (CO2) em 2050 do que hoje sem deixar de aumentar a produção de energia.

Mas o órgão advertiu que, se não forem adotadas novas políticas, a demanda global por energia e as emissões do gás vão mais que duplicar até 2050. A quantidade de CO2 emitida passaria a ser de 58 trilhões de toneladas.

"Podemos criar um futuro energético sustentável, mas isso não acontecerá se as tendências atuais se mantiverem. Estamos muito longe disso", declarou o diretor-executivo da IEA, Claude Mandil, em uma entrevista coletiva.

O relatório do órgão projeta diferentes cenários para 2050. Ele é parte da resposta da IEA a um pedido dos líderes do G-8 feito na cúpula de julho de 2005, para que a agência lhes desse conselhos sobre cenários e estratégias necessários à construção de um futuro limpo e competitivo.

"Não se trata de uma coincidência o fato de publicarmos o livro um mês antes da cúpula do G8 em São Petersburgo", afirmou Mandil. Ele acrescentou que o cenário mais provável é o de uma elevação de 6% na emissão de gás carbônico até 2050, com uma queda das emissões na indústria de energia, mas uma elevação no setor de transportes.

Segundo o diretor-executivo, porém, para resolver esse problema no longo prazo, o mundo precisa urgentemente melhorar sua eficiência energética e desenvolver métodos de captura e armazenagem de CO2 (prática conhecida pela sigla CCS). "Uma maior eficiência energética é um componente indispensável de qualquer política mista e ela pode começar a ser implantada imediatamente", destacou.

Mandil disse que, se o mundo não conseguir elaborar um esquema viável de CCS, o custo da crescente emissão de CO2 será muito alto.

"Com a política de incentivos correta, acreditamos haver espaço para um aumento em quatro vezes do uso de fontes de energia renováveis e para que a energia nuclear desempenhe um papel mais importante onde for aceitável", disse Mandil. "Se quisermos evitar o pior dos cenários, há um custo suportável a ser pago pelo mundo", afirmou ele.

Depois de nove rebeliões no estado de São Paulo no último fim de semana em solidariedade aos líderes do PCC, advice a Secretaria de Administração Penitenciária paulista decidiu endurecer ainda mais o regime de segurança no presídio de segurança máxima de Presidente Bernardes, interior do estado.

Agora, os principais membros da facção criminosa, inclusive o líder do PCC, Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, tiveram o contato com os agentes restringidos. A portinholas das 160 celas que permitem o contrato entre os detentos e os funcionários foram vedadas.

A restrição ocorreu a pedido dos próprios trabalhadores, que alegam ser ameaçados e xingados pelos presos. Somente a portinhola usada para a entrega das refeições funciona.

No presídio, que conta com o Regime Disciplinar Diferenciado, os detentos ficam em celas individuais e só têm duas horas por dia de banho de sol. As visitas íntimas, assim como o acesso a rádio, televisão, jornais e revistas, são proibidos. Chapas de aço ao redor das celas impedem a escavação de túneis.

Os órgãos que promovem igualdade racial nos estados e municípios enfrentam problemas: 75% não possuem estrutura, viagra 100mg recursos humanos e orçamento adequados, malady e 30% não dispõem de verba nenhuma. Foi o que revelou uma pesquisa da Universidade de Brasília (UnB) encomendada pela Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) e divulgada ontem.

O estudo foi realizado neste ano para avaliar os objetivos, pill problemas e resultados das políticas de governo implementadas no Brasil. Inédito no Brasil, aponta que 160 órgãos de promoção da igualdade racial foram criados após o estabelecimento da Seppir, em 2003. De acordo com o coordenador da pesquisa, Sadi dal Rosso, esse crescimento não significa que os órgãos sejam eficientes e os objetivos sejam alcançados.

"Percebemos que nos organismos constituídos nos estados e municípios para levar adiante essas políticas, há aquela estrutura mais instável. São coordenações, comissões, grupos de trabalho que nos dão a impressão de serem provisórios, o que não é bom", explica o professor Dal Rosso. Segundo ele, tal situação caracteriza "um grande entrave para a promoção integral da igualdade racial".

Segundo a ministra da Seppir, Matilde Ribeiro, as pessoas envolvidas na promoção da igualdade racial nos estados e municípios "ainda não estão preparadas para desenvolver políticas". "Precisamos a cada dia investir mais para que essas ações sejam eficazes e façam parte da agenda pública do país", disse.

O estudo revelou também que 85% dos gestores nos municípios são militantes do movimento negro. "Isso significa que as políticas sugeridas ou implementadas estão atreladas às convicções éticas. E eles (gestores) se esforçam além do que é exigido pelo órgão público", destaca Dal Rosso.

Os resultados preliminares da pesquisa foram divulgados no encerramento do 6º Fórum Intergovernamental de Promoção da Igualdade Racial, realizado em Brasília. Os relatórios completos, com mais de 350 páginas, serão divulgados pela UnB e pela Seppir em duas semanas.






Você pode gostar