fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Na Hora H!

Mulher fica paraplégica após ser baleada em assalto; ex-marido é suspeito de ter forjado o crime

De acordo com um dos suspeitos, o ex-marido de Ingrid teria pagado R$ 5 mil a vista e parcelaria R$ 13 mil para que os assaltantes matassem a mulher

Avatar

Publicado

em

Foto: Arquivo pessoal
PUBLICIDADE

A balconista Ingrid Mendonça Ribeiro, de 34 anos, ficou paraplégica após ser baleada durante um assalto forjado pelo ex-marido, que não aceitava o término do relacionamento. O crime ocorreu na farmácia onde a vítima trabalhava. De acordo com um dos suspeitos, o ex-marido de Ingrid teria pagado R$ 5 mil a vista e parcelaria R$ 13 mil para que os assaltantes matassem a mulher.

Na noite do dia 16 de outubro, dois homens anunciaram um assalto na farmácia onde Ingrid trabalhava, em Iguape, no litoral de São Paulo. Nesse mesmo dia, o filho dela completava 11 anos e esperava em casa, para comemorar o aniversário ao lado da mãe.

Os suspeitos teriam chegado em um carro prata. Eles trancaram parte dos funcionários nos fundos e roubarem alguns objetos. Em seguida, um dos ladrões disparou contra a balconista.

Equipes da Polícia Militar perceberam a ação dos suspeitos e iniciaram uma perseguição. Durante a fuga, o veículo prata capotou e o motorista veio a óbito ainda no local. De acordo com a polícia, o homem seria o autor do disparo que atingiu Ingrid. O outro suspeito sobreviveu e acabou confessando que o ex-marido dela havia pagado, à vista, R$ 5 mil, e que parcelaria R$ 13 mil para matar a mulher.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O disparo que atingiu Ingrid atravessou a coluna e a bala ficou alojada no quadril. A vítima precisou passar por uma cirurgia e, após o procedimento, ela foi diagnosticada com Paralisia Crucial T9.

A família espera que o quadro seja reversível e aguarda por uma resposta dos médicos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Após recobrar a consciência, Ingrid relatou à polícia que o carro prata usado no assalto era o mesmo que a perseguia na rua dias antes. Com isso, os investigadores passaram a tratar o caso como tentativa de feminicídio.

Ingrid teria pedido divórcio ao marido, com quem era casada há cinco anos, no dia 17 de setembro. Durante a investigação, as autoridades descobriram que o suspeito era bastante agressivo e possessivo. Em certa ocasião, o ex-marido, identificado como Andrews Ribeiro de Oliveira Martiniano, teria ido até a farmácia e pedido a demissão da ex-mulher, alegando que iria sustentá-la.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ainda de acordo com os investigadores, Andrews também teria se negado a assinar os papeis do divórcio e passou a perseguir a vítima. A balconista precisou entrar com um pedido de medida protetiva contra o ex, que foi concedido pela Justiça. A perseguição pareceu cessar apenas quando a vítima instalou quatro câmeras de monitoramento em sua residência.

No entanto, nos últimos dias, Ingrid percebeu que estava sendo constantemente seguida por um carro de cor prata.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
>

Após o atentado contra sua vida, Ingrid ficou paraplégica e  precisa adquirir equipamentos de locomoção, avaliados em R$ 35 mil. Por conta disso, a família decidiu criar uma campanha online para levantar a quantia.

Com o valor arrecadado, será comprada uma cadeira motorizada com ajuste para posição ortostática, por R$ 20 mil, e um guincho para ela conseguir sair da cama para a cadeira, que custa em média R$ 8 mil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Foto: Arquivo pessoal




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade