fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Mundo

Moderna solicitará nesta segunda-feira autorização para vacina de covid-19 nos EUA e Europa

O pedido pode fazer com que os Estados Unidos tenham duas vacinas disponíveis antes do fim do ano

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

A empresa americana Moderna anunciou que apresentará nesta segunda-feira (30) pedidos de autorização de emergência para sua vacina contra a covid-19 nos Estados Unidos e na Europa, depois que resultados completos confirmaram uma alta eficácia do produto (94,1%).

Duas semanas depois de ter anunciado uma eficácia de 94,5% com base em resultados preliminares, a Moderna afirmou que dos 196 participantes em seu teste clínico que foram infectados pela covid-19, 185 pertenciam ao grupo placebo e 11 ao grupo vacinado, com uma eficácia calculada de 94,1%.

Nenhuma forma grave da doença foi registrada no grupo vacinado. O pedido pode fazer com que os Estados Unidos tenham duas vacinas disponíveis antes do fim do ano.

O pedido de uso da vacina acontece no período em que especialistas alertam para o aumento de casos impulsionado por viagens e confraternizações de fim de ano – um aumento tão iminente que nenhuma vacina pode prevení-lo. O anúncio da Moderna marca a quarta segunda-feira seguida com boas notícias sobre possíveis vacinas. Para os americanos, isso pode significar que 20 milhões de cidadãos terão acesso a vacinas antes do final do ano, se somadas as doses que a farmacêutica Pfizer já anunciou que é capaz de disponibilizar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Pfizer já havia entrado com pedido de autorização ao orgão regulador de alimentos e medicamentos dos EUA (FDA), que deve deliberar no dia 10 de dezembro.

Os dados das duas vacinas ainda não foram publicados em revistas científicas ou revisados por pares, mas serão analisados detalhadamente por reguladores e um comitê independente nas próximas semanas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na próxima quinta-feira, 3, conselheiros do Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos devem fazer recomendações sobre quais grupos terão prioridade na primeira fase de vacinação.

Com agências

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade