Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mais Esportes

A bola e as cartas: o poker no futebol brasileiro

Estrelas da bola mostram que também são craques com as cartas (Pixabay/Reprodução)

Fenômeno de popularidade no Brasil, o poker vem conquistando milhões de praticantes nos últimos anos. Segundo dados fornecidos pela Confederação Brasileira de Texas Hold’em (CBTH), entidade máxima do poker nacional, atualmente há aproximadamente 10 milhões de praticantes da modalidade no país.

Muito desse “boom” está relacionado com a popularidade dos jogos pela internet. Podemos tomar como exemplo a plataforma 888poker que, além de oferecer um vasto leque de opções para jogo, também apresenta páginas educativas para quem está começando a jogar com lições como sequência de poker, valor das cartas e muito mais.

Sucesso nos quatro cantos do país, a modalidade também se tornou uma verdadeira febre entre profissionais do esporte mais popular do Brasil: o futebol. Desde jogadores aposentados a atletas em atividade, mostraremos na sequência que o poker está cada vez mais presente na vida de estrelas conhecidas no mundo da bola.

Ronaldo: há muitos anos o poker é um hobby em sua rotina

Novo mandatário do Cruzeiro e um dos maiores atacantes de todos os tempos, Ronaldo se aposentou como atleta de futebol em 2011. Desde então, ele tem como atividade profissional o ramo empresarial, atuando em vários setores.

Quando o assunto é hobby, o poker já faz parte da vida do ex-jogador desde quando atuava como futebolista profissional. O atacante Dentinho, ex-Shakhtar Donetsk e companheiro de Ronaldo nos tempos de Corinthians, declarou em recente entrevista para o editor-chefe do site SuperPoker, Gabriel Grilo, que foi Ronaldo o responsável por ensiná-lo a jogar poker no time paulista.

Para quem não sabe, Dentinho é um grande entusiasta da modalidade, com participações recorrentes em torneios internacionais online.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No entanto, diferentemente de Dentinho, Ronaldo tem preferência por disputar partidas em modo presencial, seja em campeonatos oficiais ou com os amigos. Além de já ter terminado entre os 30 primeiros colocados em um importante evento de categoria internacional, realizado em 2015 e protagonizado nas Bahamas, o fenômeno acumula três participações oficiais no Campeonato Brasileiro de Poker.

Neymar: craque dentro das quatro linhas e ótimo competidor nas cartas

Quando colocamos poker e futebol na mesma frase, é praticamente impossível não mencionarmos o craque Neymar. Atacante do Paris Saint-Germain (PSG) e segundo maior goleador da seleção brasileira em toda a história, Neymar já provou em distintas oportunidades que leva o poker mais a sério do que grande parte do público imagina.

O futebolista brasileiro é amigo pessoal de André Akkari, uma das principais referências do poker nacional e internacional. Foi através de Akkari que Neymar passou a se dedicar à modalidade das cartas com maior frequência em seu tempo livre, através de aulas e partidas organizadas em seus períodos de férias no Brasil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na última semana de 2021, por exemplo, o craque passou um período de folga de fim de ano no Brasil e convidou alguns jogadores de poker para uma partida recreativa. Além da presença de seu mentor, Akkari, a disputa ainda contou com mais dois profissionais das cartas: Stetson Fraiha e Rafael Morais.

Mesmo competindo contra profissionais gabaritados, o atacante do PSG não sentiu a pressão e levou o torneio. Logo após vencer a disputa, Neymar fez questão de registrar fotos ao lado do troféu de campeão em seu perfil do Instagram. Uma de suas postagens referentes ao torneio, inclusive, teve aproximadamente 3 milhões de curtidas.

Além de partidas recreativas, Neymar já participou de torneios oficiais do Campeonato Brasileiro de Poker. Seu melhor resultado em competições oficiais presenciais veio em 2018, quando alcançou o 6º lugar de um evento “High Roller” do circuito nacional. Naquela ocasião, ele ficou à frente de 282 competidores, sendo muitos deles jogadores profissionais da modalidade.

Aos 29 anos, Neymar ainda tem vários anos de futebol em alto nível pela frente. Mas, pensando em seu futuro, quando se aposentar dos gramados, não seria surpresa alguma ver o craque se dedicando integralmente ao poker.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vanderlei Luxemburgo e o poker: uma relação que permanece ativa desde os anos 1970

Presente em várias listas que abrangem os maiores treinadores da história do futebol brasileiro, Vanderlei Luxemburgo nunca escondeu o seu apreço pelo poker. Desde os tempos de jogador profissional, nos anos 1970, o técnico tem a modalidade como um hobby.

Um dos lugares preferidos de Luxemburgo para a prática é a cidade uruguaia de Punta Del Este. O local, além de turístico, abriga o famoso Enjoy Punta del Este Resort y Casino. Além disso, Luxemburgo é figura recorrente em torneios de celebridades organizados pelo Campeonato Brasileiro de Poker.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em 2018, por pouco ele não ficou com o título do evento “Desafio das Estrelas”, do circuito brasileiro ao vivo. Naquela ocasião, Luxemburgo foi o vice-campeão do torneio, perdendo o título para Carlos Buono.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Como o futebol e o poker se conectam

Futebol e poker possuem muitos pontos em comum (Pixabay/Reprodução)

Embora seja difícil acreditar que há semelhanças entre o poker e o futebol, ambas as modalidades possuem mais nuances em comum do que muitos acreditam. Ainda que as cartas não exigem um altíssimo nível de preparação física, as duas modalidades apresentam desafios mentais intensos, bem como exigem estratégia avançada e natureza competitiva dos envolvidos.

Outra conexão significativa entre o poker e o futebol é que eles são extremamente democráticos. Além de agregar as pessoas, eles podem ser disputados tanto em nível recreativo quanto profissional, sem a necessidade de vários aparatos para a prática.

Não por acaso, o poker está progressivamente mais inserido na cultura futebolística do brasileiro. Além do mais, com a crescente popularização da modalidade de cartas no país, a tendência é que futebolistas das próximas gerações continuem a se engajar com o poker nos próximos anos.








Você pode gostar