Jornal de Brasília

Informação e Opinião

JBr Pets

Confira dicas de como cuidar dos pets nessa onda de calor

De acordo com a médica veterinária Lethicia Santos, alguns cuidados básicos podem ajudar os bichinhos em tempos de altas temperaturas

Por Camila Bairros 26/09/2023 1h34
Foto: Arquivo Pessoal

Não é impressão, está cada dia mais quente. E se os humanos, que podem colocar uma roupa mais fresca, comer alimentos mais leves e entrar em lugares com ar condicionado, estão sofrendo, imagina os animaizinhos, que não sabem verbalizar e dependem dos outros para se refrescarem.

Por isso, o Jornal de Brasília foi atrás de dicas para tornar a vida dos pets um pouco mais tranquila durante essa onda de calor que atinge todo o Brasil. De acordo com a médica veterinária Lethicia Santos, alguns cuidados básicos podem ajudar os bichinhos em tempos de altas temperaturas, como cuidar o horário dos passeios.

Confira dicas de como cuidar dos pets no calor

  • Hidratação

    “É necessário incentivar a ingestão de água, principalmente nos períodos mais quentes do ano. Nesses casos, podemos acrescentar vários potes de água fresca pela casa, ofertar fonte de água corrente, acrescentar cubos de gelo nos potes, oferecer picolés de frutas, petiscos, alimentação úmida (sachês e patês), e etc.”
  • Passeio

    “O recomendado é que os passeios ocorram antes das 10h e após as 18h, já que o calor excessivo pode deixar o asfalto quente, causando queimaduras nas patinhas. Portanto, para um passeio saudável, temos algumas dicas, como passear em lugares com sombra, não intensificar os exercícios e evitar passeios com correntes, sendo indicado guias mais confortáveis. Além disso, sempre levar uma garrafa com água fresca”, revela a médica veterinária.

  • Como diminuir o calor

    “Ofertando água fresca, e trocando essa água várias vezes ao dia. O banho deve ocorrer de acordo com a necessidade do animal (o que é indicado pelo médico veterinário). É importante deixar o animal em ambientes ventilados, e o tapete gelado também é uma boa opção”.

  • Hipertermia

    “Cães braquiocefálicos, ou seja, com focinhos curtos, como pug e buldogue, possuem maior facilidade para um quadro de hipertermia, bastante comum em casos de animais que ficam presos dentro de carros, podendo evoluir para óbito. Porém, todos os animais poder ter hipertermia.
    É preciso observar os sinais, como: fraqueza, respiração ofegante, vômito, falta de ar, diarreia, salivação excessiva, pois pode ser um sinal para hipertermia”, explicou Lethicia.


Quem tem um pet em casa já cansou de ouvir conselhos contraditórios sobre o que fazer com o seu bichinho, como “ele tá muito peludo, nesse calor precisa tosar”. E sobre isso, a médica veterinária também esclareceu algumas dúvidas.

Mitos e verdades

  • Cães precisam usar protetor solar?

    VERDADE
    .

    Quando for passear com o seu pet, é indicado o uso de protetor solar (específico para animais), principalmente em áreas sem pelo, como focinho, barriga, orelha e coxins, para bloquear e proteger dos raios UV.

  • Oferece gelo faz mal?

    MITO.

    Podemos utilizar o gelo de várias formas, como: acrescentar na água, congelar petiscos e congelar frutas adequadas para pets.

  • A exposição excessiva ao sol pode causar câncer?

    VERDADE.

    É necessário evitar que o animal fique no sol em horários mais quentes com frequência, principalmente animais albinos ou despigmentados, com maiores índices de câncer de pele, sendo mais evidentes em locais sem pelos.

  • É preciso tosar o pet no calor?

    MITO.

    O pelo do animal é responsável pela termorregulação, ou seja, ajuda no controle da temperatura do animal. Portanto, o recomendado é apenas aparar a pelagem e evitar tosar por completo, pois o mesmo é uma proteção para a pele, evitando queimaduras e superaquecimento quando exposto ao sol.






Você pode gostar