Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Beleza e Bem Estar

Lipo HD, a cirurgia plástica queridinha de famosos e anônimos em 2023

Especialista na técnica explica os seus diferenciais e cuidados na escolha do médico e no pós-cirúrgico

Reprodução

Um levantamento recente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) constatou que o Brasil segue ocupando o primeiro lugar no ranking de cirurgias plásticas no mundo e a Lipo HD é a mais popular e mais procurada por celebridades e anônimos. O objetivo do procedimento é remover a gordura localizada em pontos específicos trazendo mais evidência para os contornos corporais e também uma aparente maior definição aos músculos na barriga, pernas, braços e costas.

Famosos como a cantora Ludmila e sua esposa, a dançarina Brunna Gonçalves e os influenciadores digitais como Gessica Kayane, a Gkay, Deolane Bezerra, Virginia Fonseca e Flay aderiram a essa cirurgia.

Conhecida também como Lipo de Definição ou LAD, a cirurgia não é indicada para todos os públicos e sim para homens e mulheres com pouca gordura corporal e pouca flacidez. Segundo, o cirurgião plástico especialista na técnica Dr Daniel Botelho, a lipo hd não tem como finalidade o emagrecimento e sim a definição do contorno corporal para uma aparência mais atlética: “Quanto mais próximo o paciente estiver do seu peso ideal, melhor será o resultado”, afirma o cirurgião plástico.

De acordo com o Dr Daniel Botelho, a Lipoaspiração HD envolve uma combinação de técnicas avançadas de lipoaspiração e escultura corporal para obter resultados de definição muscular mais marcantes: “Pequenas incisões são feitas em locais estrategicamente escolhidos para permitir o acesso às áreas a serem tratadas. Essas incisões são muito pequenas e posicionadas para diminuir a visibilidade das cicatrizes pós-operatórias”, explica o cirurgião plástico. Cânulas finas são inseridas por meio desses pontos de acesso para aspirar a gordura localizada. Com cerca de 5 horas de duração, o cirurgião plástico utiliza movimentos precisos para retirar o excesso de gordura e esculpir os contornos desejados, respeitando a anatomia muscular e alcançando uma aparência mais definida.

Diferentemente da lipoaspiração tradicional, que foca apenas na remoção de gordura em regiões específicas, a Lipo HD permite que o cirurgião possa esculpir o contorno corporal com mais precisão e provocar a definição muscular: “Outro ponto positivo em relação à lipo convencional é a utilização de tecnologias avançadas que tornam a remoção de gordura menos traumática, reduzem sangramento, aceleram a recuperação do paciente e contribuem para a segurança do procedimento”, afirma o Dr Daniel Botelho.

Outro ponto importante a ser destacado é que a lipoaspiração não é capaz de remover a gordura visceral, aquela que se acumula entre os nossos órgãos e é fator de risco para diversas doenças. A lipoaspiração vai retirar a gordura subcutânea, aquela que conseguimos pinçar com os dedos e que pode ser difícil de perder mesmo com alimentação equilibrada e atividade física em dia. Por esses motivos, se o paciente está com alto percentual de gordura visceral e longe do peso ideal para a sua altura, receberá a indicação de perder peso antes de pensar em cirurgia.

Cuidados no pré e no pós-cirúrgico e risco da cirurgia

Assim como qualquer procedimento cirúrgico, há riscos associados, e é crucial seguir os cuidados adequados no pré e pós-operatório para garantir uma recuperação tranquila. Todo candidato à cirurgia deve passar por uma consulta médica com um cirurgião plástico qualificado, discutir suas expectativas e realizar exames pré-operatórios. Depois de passar pela Lipo HD, os cuidados necessários incluem o uso de cinta, repouso, as medicações prescritas e algumas sessões de fisioterapia especializada. Geralmente, os pacientes são liberados para voltar às atividades leves de 7 a 10 dias depois da cirurgia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Números da cirurgia plástica no Brasil

De acordo com a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS) e a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) o Brasil segue ocupando o primeiro lugar no ranking de cirurgias plásticas no mundo, com cerca de 1,5 milhões de cirurgias realizadas ao ano.






Você pode gostar