Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Entretenimento

‘Se eu fiquei com três caras do meio artístico, foi muito’, revela Joana Prado

Empresária conta que procurava se preservar na época de Feiticeira para evitar julgamentos

Por FolhaPress 25/05/2022 3h49
Foto|Reprodução

Já são mais de 20 anos que Joana Prado deixou de ser a Feiticeira, personagem icônico do “Programa H”, na Band, mas ela continua sendo lembrada com um dos símbolos sexuais do final dos anos 1990. A empresária e mulher do ex-lutador Vitor Belfort volta e meia assume ter sofrido na época com o trabalho e, que tinha pavor dos julgamentos das pessoas. Tanto que ela procurava se preservar ao máximo no que diz respeito aos relacionamentos.

“Eu falo com um carinho da Feiticeira, porque só Deus sabe o tanto que eu sofri, mas também o tanto que eu me diverti, cresci, amadureci e aprendi na época. Eu, mesmo tendo sido um símbolo sexual, nunca, literalmente, vendi meu corpo. Se eu fiquei com três caras do meio artístico, foi muito. Um deles foi o Vitor. Sempre me preservei muito”, admite.

Em uma live com Karina Bacchi, recém-separada de Amaury Nunes, Joana reforça o arrependimento por ter posado nua. “Claro que eu me arrependi. Por que, para mim, [a palavra] arrependimento, no hebraico, é mudança de direção, então, eu tenho que mudar minha direção. No grego, é mudança de pensamento, eu tenho que mudar meu pensamento. Eu me arrependi, sim, o que significa que eu não quero mais fazer aquilo o que eu fazia antes”, explica.

Ela deixou claro que não tem problema em relembrar a época de Feiticeira, mas que vive um outro momento em sua vida e, por isso, gostaria que as pessoas tivessem curiosidade também pela atual fase. “Tenho três filhos maravilhosos, um marido abençoado, tenho Jesus no meu coração, que é o mestre da minha vida, e que tudo que eu faço é baseado nos princípios bíblicos. Não sou perfeita e estou longe de ser. Erro todos os dias, peço perdão a Deus todos os dias, mas sigo o caminho de Cristo”, finaliza.








Você pode gostar