Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Música

Steel Pulse mostra todo seu reggae em Brasília

A banda se apresentará na Capital Federal no dia 20 de maio, às 21 horas, no estacionamento do Teatro Nacional

A banda se apresentará na Capital Federal no dia 20 de maio, às 21 horas, no estacionamento do Teatro Nacional Foto/Reprodução

A banda inglesa Steel Pulse, criada em 1975, é considerada ícone do reggae mundial, sendo premiada, em 1986, com o prêmio Grammy como melhor banda de Reggae. 

Em suas apresentações, traz mensagens antirracistas, contra o sistema e também cheias de positividade. A banda ainda conta com dois dos integrantes originais: David Hinds (vocal e guitarra) e Selwyn Brown (vocal e teclado), e nessa turnê, intitulada Mass Manipulation, ela traz na equipe o engenheiro de som Errol Brown, que produziu todos os discos do grande ícone Bob Marley.

No palco, a Steel Pulse entrega uma performance musical impecável, sendo considerada por críticos musicais e público dos quatro cantos do mundo como uma das bandas mais poderosas e vibrantes quando o assunto é show ao vivo. O álbum mais recente “Mass Manipulation” recebeu uma indicação ao Grammy e a banda está em turnê de divulgação. 

Além de Brasília, já tem shows confirmados, no Brasil, nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Florianópolis, Porto Alegre e Juiz de Fora. O Jornal de Brasília bateu um papo com o vocalista da banda, David Hinds.

Ao ser questionado como eles definem o som deles, David afirmou: “Defino nosso som como muito singular dado o plano de fundo cultural de origem da banda. Digo cultural porque apesar da nossa herança jamaicana, adotamos um som de estilo da Inglaterra na época”.

“Também fomos influenciados pela mistura de música das rádios inglesas e por música original que não tocava no rádio. Bandas como War, Mandrill, Stanley Clarke, The Climax Blues Band, The Crusaders, Jimi Hendrix, George Benson, The Pointer Sisters, Gil Scot Heron, e Stevie Wonder influenciaram muito nossas letras e acordes. Em outras palavras, se eu tivesse sido criado na Jamaica nas mesmas condições socioeconômicas, eu não teria sido exposto a tanta diversidade musical”, continua.

Sobre o que significa para David manter vivo o legado de Bob Marley, ele comentou que “Manter o legado do Bob Marley é muito importante. O reggae foi introduzido ao mundo pelo estilo da música dele e pelo próprio estilo do Bob Marley. Ao relembrar 41 anos que ele nos deixou, não podemos deixar de lembrar que o mundo estaria desorientado se não fosse pelo reggae consciente. A música do Bob Marley é a linha de frente desse tipo de reggae”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre o interesse de público e artistas brancos no reggae, ele conta que o aumento desse público não foi incentivado a conhecer os artistas criadores da música.

“Se você quer minha opinião honesta, o crescente público branco no reggae, especialmente nos últimos 5 anos, não foi incentivado a conhecer os artistas que foram os criadores da música. Em vez disso, uma indústria foi propositalmente forjada para ostracizar os criadores da música para formar uma entidade onde as bandas brancas de reggae se tornaram as ganhadoras do pão em todos os aspectos possíveis”, explica. 

“A Steel Pulse viu isso acontecer. Foi a principal razão pela qual deixamos o Reino Unido para trás em primeiro lugar. Agora é evidente, em festivais de reggae que estão por todos os EUA, não têm mais artistas jamaicanos encabeçando nenhum desses eventos. Este é um assunto delicado que ninguém quer falar. Mas você pode ter certeza que o Steel Pulse transmitirá nossas opiniões em um piscar de olhos. O Steel Pulse assistiu à distância o nascimento e o crescimento da música reggae e como ela mudou de mãos”, conclui.

As expectativas para o show em Brasília são grandes. “A intenção é transmitir ao público que o nosso som é tão interessante e único como a arquitetura da cidade. Espero que nosso estilo musical fique nos corações das pessoas da mesma forma que fiquei quando vi esses monumentos e prédios pela primeira vez – totalmente perplexos e impressionados”, finaliza David Hinds.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Serviço

3° Festival FYAH – Cultura Black

STEEL PULSE E DJONGA

• Quando: 20 de maio

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

• Onde: estacionamento do Teatro Nacional

• Horário: 21h

•Ingressos: https://fyahculturablack.com.br/

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar