Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Literatura

Cinco livros de valorização da cultura negra

Obras focam na conscientização dos direitos e das vivências da população negra

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil (imagem ilustrativa

Em homenagem ao Dia da Consciência Negra, nesta segunda-feira (20), a Editora Melhoramentos selecionou alguns livros que focam na conscientização dos direitos e das vivências da população negra.

‘O Menino Nelson Mandela’, de Viviana Mazza, é uma biografia romanceada que aborda com leveza assuntos como opressão, racismo e segregação e narra a trajetória da figura mítica do primeiro presidente negro da África do Sul, entremeada pela visão de mundo do homem cuja luta pôs fim ao apartheid e devolveu a esperança e a liberdade a toda uma nação.

É pela voz de vovó Nombulelo que a história de Mandela ganha vida: apresentando as raízes, os contos favoritos e as brincadeiras inesquecíveis que fizeram parte da sua infância simples nos campos de sua terra natal e o despertar para os ideais de igualdade e democracia que marcaram permanentemente a vida do ativista que passou 27 anos na prisão por um sonho de liberdade.

‘Com Qual Penteado Eu Vou’, de Kiusam de Oliveira. O livro gira em torno da celebração de 100 anos do Seu Benedito. Para homenagear seu bisavô nessa data tão importante, as bisnetas e bisnetos vão escolher penteados lindos para participar da comemoração. Além disso, cada uma e cada um irá presentear seu ‘bisa’ com a virtude mais poderosa que tem. Com qual virtude você presentearia alguém tão especial?

‘A Escravidão no Brasil’, de Joel Rufino, para a Coleção Como eu ensino, de aprimoramento e atualização dos professores. Neste volume da coleção, o escritor e historiador Joel Rufino dos Santos aborda a escravidão no Brasil como um capítulo da história do trabalho no país. A partir de notícias de jornal e relatos da época do trabalho servil, o autor busca que o leitor crie para si “uma ideia de escravidão”, para refletir sobre os efeitos perversos do modelo econômico escravista ainda presentes em diversos aspectos da sociedade brasileira contemporânea.

‘Olelê, uma cantiga da antiga África’, de Fábio Simões. Esta é a história de uma antiga cantiga africana — uma “africantiga” —, do povo que vive à beira do Rio Cassai, no coração da África. Na época da cheia, quando as águas do rio sobem, quem mora nas áreas próximas às margens precisa migrar para os lugares mais altos. Os meninos e as meninas aprendem a canção para entrar nos barcos e partir cheios de coragem.

Em ‘Kakopi, kakopi! Brincando e jogando com as crianças de vinte países africanos’, de Rogério Andrade Barbosa, os irmãos Korir e Chentai vivem e estudam no Quênia e estão sempre em busca de novas brincadeiras pelo continente africano. Dessa vez, eles pesquisaram e recolheram para um trabalho escolar vinte jogos de diversos países!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No site da Editora Melhoramentos, há opções de lojas para buscar os livros citados.






Você pode gostar