Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Kátia Flávia

Bruno Krupp se pronuncia: “Me chamaram de assassino, como se eu tivesse feito alguma coisa errada”

Modelo conta que foi maltratado no hospital e diz que ficou 3 horas esperando para ser atendido

Por Kátia Flávia 04/08/2022 11h30
Modelo conta que foi maltratado no hospital e diz que ficou 3 horas esperando para ser atendido

Eita, meninas, tem mais desenrolar na história de Bruno Krupp, que atropelou e matou um jovem no Rio de Janeiro. Em vídeo, o modelo conta que tudo foi um acidente e ainda ressalta que preferia estar no lugar da vítima, que o pior tivesse acontecido com ele. Bruno não deixa de dizer que o hospital demorou para atendê-lo e que foi maltratado.

“Gente, pelo amor de Deus. Eu sou a última pessoa que queria que isso tivesse acontecido. Pode ter certeza que eu queria que o pior tivesse acontecido comigo. Eu fui levado de ambulância ao hospital. Eu fui transferido de ambulância pra outro hospital”, iniciou.

O modelo ainda contou que não fugiu do hospital, como estavam dizendo. “Eu não fugi dos médicos. Eu fiquei 3 horas no hospital pra ser atendido e ninguém me atendia. Eu tava morrendo no hospital. Os empregados me tratando mal no hospital, batendo com maca comigo no corredor, me chamando de assassino, como se eu tivesse feito alguma coisa errada. Não, eu não bebi. Não usei droga, eu não fiz nada. Gente, foi um incidente”, declara Krupp.








Você pode gostar