Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Entretenimento

Ivete Sangalo rompe silêncio e diz que Bolsonaro nunca a representou

Segundo a cantora, o momento atual exige que cada um faça a sua parte para “driblar essa desorganização que está aí”

São Paulo, SP

Criticada nos últimos meses por não se posicionar politicamente, Ivete Sangalo, 49, publicou nesta terça (22) um comunicado em suas redes sociais em que afirma que o atual governo brasileiro não a representa, mas que isso será resolvido nas próximas eleições pelo poder do voto. “Meus zamuris, entendo o quão necessário é nesse momento não estabelecer dúvidas sobre o que acredito. Esse governo que aí está não me representa nem mesmo antes da ideia dele existir. E isso vamos resolver quando unirmos forças nas próximas eleições, através do poder do voto”, escreveu.

Segundo a cantora, o momento atual exige que cada um faça a sua parte para “driblar essa desorganização que está aí”. “Uso de máscara, higienização, vacinas e o que mais for necessário”. Ela finalizou afirmando ser a favor da “vacina para todos”.

Ivete é cobrada por fãs nos últimos meses para se posicionar em relação à pandemia e à situação política do país. No domingo (20), ao lamentar as 500 mil mortes causadas pela Covid-19 no Brasil, a cantora escreveu: “Não é natural. Não é uma mentira. É estarrecedor pensar sobre milhares de vidas ceifadas e dores irreparáveis em torno dessas perdas”, disse.

A postagem provocou críticas de internautas pela cantora afirmar que “não é sobre partidos, é sobre humanidade.” Ainda que indiretamente e sem citar o nome de Ivete Sangalo, nesta segunda (21), muitos artistas se manifestaram publicamente criticando a falta de posicionamento dela e culpando o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pelas 500 mil mortes por Covid no Brasil. “É sobre fora, Bolsonaro, sim! A favor da democracia, da economia, da saúde, da educação, do senso coletivo”, escreveu Anitta.

Já o influenciador digital Felipe Neto, 33, deu uma resposta direta à cantora. “Desculpa, Ivete, sua música continua no meu coração, mas o quanto eu já te amei como ídola, infelizmente foi interrompido pelo seu emcimadomurismo”, afirmou. “Anitta mandou o papo. É sobre política e partidos SIM. É sobre #ForaBolsonaro sim. Sei que um dia você vai perceber…”

Conterrânea de Ivete, a também baiana Daniela Mercury, 55, também se manifestou. “Não há como isentar o governo federal da responsabilidade”, disse. “O governo federal descumpriu a obrigação de elaborar e executar, de modo eficiente, um plano nacional contra a Covid-19. #DanielaMercury #responsabilidade #500milmortos #ForaBolsonaro”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Diversos participantes da edição mais recente do Big Brother Brasil (Globo) entraram na onda e usaram a hashtag, entre eles a campeã Juliette Freire, além do popular Gil do Vigor, da cantora Pocah, da dentista Thaís Braz e da primeira eliminada, Kerline. “500 mil mortos no Brasil”, comentou Juliette. “Não são apenas números. É uma terrível consequência da negligência da gestão do atual governo Bolsonaro. Eles tinham como ter evitado essa tragédia. É claro que é #ForaBolsonaro.”

“Muitos me questionam quando a crise vai acabar e o Brasil voltar a crescer, portanto decidi responder: quando o Bolsonaro e sua turma saírem do poder”, escreveu Gil, que é economista. Também demonstraram ser a favor do impeachment do presidente atores como Alice Braga, Leandra Leal, Sophia Abrahão, Hugo Bonemer e Ana Hikari. Entre os cantores estavam Duda Beat e Johnny Hooker.

As informações são da Folhapress

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar