Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Entretenimento

Entenda como Ezra Miller foi de promessa a pesadelo de Hollywood

Preso duas vezes nos últimos meses, protagonista de ‘The Flash’ está desaparecido com uma amiga indígena há três semanas

Por FolhaPress 23/06/2022 2h40
Foto|Reprodução

TETÉ RIBEIRO
SÃO PAULO, SP

Você provavelmente conhece o rosto de Ezra Miller, ainda que o nome possa não ser familiar. Aos 29 anos, o americano, que se declara não binário, já tem 13 anos de carreira profissional no cinema e na TV, com alguns papéis bem marcantes.

O que o tornou reconhecido no mainstream da indústria de entretenimento foi o adolescente Kevin, do filme “Precisamos Falar Sobre Kevin”, de 2011, baseado em um romance de Lionel Shriver lançado em 2003.

Sob o ponto de vista da mãe do garoto, papel de Tilda Swinton, a história mostra o relacionamento difícil dela com seu filho, que acaba por se revelar um assassino suicida, responsável por um massacre na escola onde estuda. Sua arma de escolha é um arco e flecha, que o ator fez questão de guardar como souvenir.

Miller abandonou os estudos antes de completar o ensino médio, quando sua carreira deu os primeiros sinais de que poderia dar certo. Filho mais novo de uma dançarina e de um editor de livros, estudou ópera na infância para tratar uma gagueira debilitante, mas se encantou pelo teatro logo cedo e trocou de palco. É apaixonado pelo universo de Harry Potter e por armas de fogo.

Com 1,80m, corpo esguio, rosto bonito, anguloso e marcante, discurso articulado, contemporâneo e energético, além da total descontração para falar de sua intimidade, Ezra Miller parecia ser a solução para o problema da falta de conexão dos estúdios de Hollywood com a geração Z.

Ele já disse em entrevistas que perseguiu o papel de Kevin “como um stalker depois de ler o roteiro”, e que “nem por um minuto pensou que estava interpretando uma personagem fundamentalmente má”. Também declarou que não via motivos para esconder o fato de que fuma maconha. Sobre sua sexualidade, foi mais além. Declarou-se gay em 2012, queer em 2018 e não binário em 2021. Prefere o uso dos pronomes they/them, neutros em inglês, que não têm uma tradução dicionarizada em português.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Trabalha consistentemente desde 2006, quando estreou na série de TV “Cakey! The Cake From Outer Space”, ou o bolinho do espaço, em tradução livre. E é dele o personagem Credence Barebone, da franquia “Animais Fantásticos”, spin-off da série Harry Potter, que já tem três longas-metragens lançados e tem mais dois em produção.

Foi do último filme desta série que Johnny Depp foi substituído por Mads Mikkelsen no meio das filmagens, por conta das acusações de abuso de sua ex-mulher, Amber Heard. “Animais Fantásticos: Segredos de Dumbledore” estreou no Brasil em abril deste ano nos cinemas, e está disponível para streaming na HBO Max.

Além disso, Ezra Miller foi escolhido para viver o super-herói The Flash em várias produções. Na primeira delas, o filme de 2016 “Batman vs Superman”, com Ben Affleck no papel do homem-morcego, Henry Cavill como o jornalista extraterrestre, Gal Gadot como a Mulher-Maravilha e Jason Momoa como Aquaman, seu personagem faz apenas uma ponta e serve como alívio cômico.

Mas o resultado caiu tão bem, tanto com a crítica quanto com o público, que Miller continuou sendo escalado como o Velocista Escarlate, como é conhecido o personagem que ultrapassa a velocidade da luz.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Interpretou-o em “Liga da Justiça”, em 2017, na série de TV “Arrow”, de 2020, e, este ano, na série de TV “Pacificador”.

Em 2021, terminou as filmagens do ainda inédito “The Flash”, em que tem o papel principal pela primeira vez desde que vestiu a touca e o macacão vermelhos do personagem dos quadrinhos da DC Comics, uma subsidiária da Warner. Dirigido pelo argentino Andy Muschietti, “The Flash” tem, além de Miller como o super-herói e seu alter ego Barry Allen, Ben Affleck e Michael Keaton creditados como Batman no elenco.

A ver se o filme verá a luz do dia. Ou, melhor, o escuro de uma sala de cinema, como era o plano do estúdio que investiu US$ 200 milhões no longa-metragem, com esperança de que seria o primeiro de uma série. A data de estreia estava prevista para este mês, mas foi empurrada para junho de 2023.

O ator também concluiu as filmagens de “Dali Land”, em que interpreta o pintor surrealista Salvador Dalí na juventude. Na idade adulta, o espanhol é interpretado por Ben Kingsley. “Dali Land” foi dirigido pela cineasta canadense Mary Harron, de “Psicopata Americano” (2000) e “I Shot Andy Warhol” (1996).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ezra Miller faz questão de ser excêntrico. Intenso, adora dizer frases fortes em entrevistas, como “eu mal me identifico como um ser humano”, que disse para a revista Out. Ou “um político é apenas uma celebridade com um fã clube, como eu. E provavelmente somos todos doentes mentais”.

Mas o que era curioso e atraente começou a ficar esquisito em 2020, quando um vídeo de sete minutos viralizou, em que ele falava para uma fã em um bar, na Islândia “Ah, você quer brigar? É isso?”. A garota brinca que vai iniciar uma luta, e ele a agarra pelo pescoço e a derruba no chão.

Em março deste ano, a polícia foi chamada a um bar no Havaí, onde o ator, aparentemente bêbado, ficou muito irritado quando pessoas começaram a cantar no karaokê. Gritando obscenidades, arrancou o microfone de uma mulher e o jogou no chão. Depois, atacou um homem que estava jogando dardos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O dono do bar chamou a polícia depois de pedir que ele se acalmasse diversas vezes. Foi preso, pagou uma fiança de US$ 500 e foi liberado em seguida. Nesta mesma viagem, invadiu o quarto de hotel de um casal, roubou um passaporte e uma carteira e ameaçou os dois, dizendo que iria “enterrá-los”. O casal pediu uma ordem de restrição contra Miller, mas retirou a ação duas semanas depois.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Foi preso mais uma vez, de novo no Havaí, no mês seguinte, depois de atirar uma cadeira na cabeça de uma mulher de 26 anos.

O caso mais recente e estranho é o dos pais de uma jovem indígena de 18 anos, de Dakota do Norte, que pediu uma ordem de proteção provisória contra Miller em nome da filha, Tokata Iron Eyes, ou Tokata olhos de ferro. Em documentos apresentados a um tribunal tribal, os pais de Tokata acusam o ator de “manipular psicologicamente, intimidar fisicamente e botar sua segurança e seu bem-estar em risco”.

Alegam ainda que Miller “exibe padrões de comportamentos controladores, além de ter corrompido uma menor com uso de álcool e drogas”. Tokata é próxima de Miller há seis anos. Quando se conheceram, a menina tinha 12 anos e ele, 23. Desde então, formaram um laço forte de amizade
Ela, que se denominava queer, agora se diz não binária, como ele. Tokata já viajou com Ezra Miller para Londres, Vermont, Nova York, Califórnia e Havaí. Ela é maior de idade perante a lei americana, mas não de acordo com as regras de seu povo.

A corte tribal, no entanto, não conseguiu localizar nem Miller nem Iron Eyes até agora. O pedido foi feito há três semanas. Os dois estão supostamente juntos e desaparecidos. O ator deletou todas as suas redes sociais, não tem usado celular nem cartões de crédito, enquanto a menina usa sua conta no Instagram para acusar sua família de querer manipulá-la e proteger o amigo.

A grande esperança de Hollywood, pelo jeito, não vai dar o resultado esperado. Mas notícia também é entretenimento.








Você pode gostar