fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cinema

Ford Vs Ferrari: bastidores fervorosos das corridas

Leonardo Resende

Publicado

em

PUBLICIDADE

Se Velozes e Furiosos passasse por um filtro de qualidade estrutural – onde há profundidade de personagens, atuações impecáveis e cenas de ação com ressonância altamente emocional – o resultado seria Ford Vs Ferrari, novo filme de James Mangold (Logan) que estreia hoje nos cinemas da cidade. 

Um padrão de competição empresarial era de grande veracidade na maior parte da história americana. O nicho automobilístico não ficou ausente disso.  Em meados de 1950 e 1960, para Henry Ford II, vencer a corrida de 24 horas da La Mans, na França era o maior ápice que a montadora de carros poderia conceber. Entretanto, existia um imenso problema na trilha disso: a Ferrari. Após a fálica tentativa de comprar a concorrente, Ford declara guerra aos italianos e decide construir um carro capaz de desbancar o motor italiano. 

Não há escapatória, Ford Vs Ferrari é, de fato, um Oscar Bait. Todos os padrões estéticos, cênicos e técnicos são bem politos. Entretanto, é uma caracterísitica nata dos filmes dessa época (temporada de premiação começa a partir de Dezembro/Janeiro em Hollywood), mas que não exclui o mérito das estrelas nele contido. Mais uma vez, os holofotes são voltados para a perfomance de Christian Bale no papel complexo de Ken Miles. Bale entrega uma estrutura impressionante ao dar vida ao piloto. Existe uma camada grossa de irredutabilidade no seu personagem, mas há um homem disposto a tudo pelos ideais de seu amigo, Carroll Shelby (Matt Damon). 

Christian Bale como Ken Milles: (mais uma) atuação impressionante. Foto – Divulgação

O piloto da direção certa

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quando se trata de atuação cinematográfica, existem dois fatores que influenciam no desempenho do ator: o método do próprio e a direção segura. James Mangold – com uma versatilidade impressionante pois o diretor veio de Garota, Interrompida, Encontro Explosivo, Logan – faz o segundo melhor filme de sua carreira. Mangold apenas não equilibra todos os elementos cinematográficos, como também estrutura uma excelente direção de atores, afinal Angelina Jolie teve uma boa influência do cineasta em Garota, Interrompida

Elenco de ouro. Foto – Divulgação

Por ser do nicho de premiações, Ford Vs Ferrari possui um ritmo lento em seu príncipio, mas quando ele engata a primeira, Mangold e elenco entrega um dos melhores filmes do ano. 

Por Leonardo Resende

leonard0resende

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade