fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Economia

Receita pode tirar empresas do Simples

Quem tiver dívidas com o Fisco ou qualquer outra irregularidade precisa corrigir a situação para não ser excluído do sistema. Sebrae no DF monta plantão para ajudar os empreendedores

Lindauro Gomes

Publicado

em

Foto: Vitor Mendonça/ Jornal de Brasília
PUBLICIDADE

Mais de 17 mil empresas do DF podem ser excluídas

Receita Federal notifica empreendedores que estão em débito com o Fisco

Da Redação
[email protected]

Microempresas e Empresas de Pequeno Porte inscritas no Simples Nacional devem ficar atentas. A Receita Federal notificou um total de 738.605 empreendimentos em todo o país que estão em débito com o Fisco e, caso não regularizem sua situação, poderão ser excluídas do sistema simplificado de tributação em 31 de dezembro deste ano. As dívidas acumuladas por essas empresas ultrapassam a casa de R$ 21 bilhões.

A varredura é uma prática anual da Receita e tem o objetivo de conferir se as empresas brasileiras estão em conformidade com as condições de enquadramento no Simples Nacional. Quando é identificada alguma irregularidade, o órgão encaminha cartas avisando sobre a exclusão e informando divergências como erros de cadastro, falta de documentos, excesso de faturamento, dívidas tributárias, parcelamentos em aberto ou atuação em áreas não permitidas. Ocorrendo algum desses fatores, a empresa pode ser impedida de permanecer no Simples Nacional.

Motivos

No Distrito Federal, 17.304 empresas receberam a notificação da Receita, todas por estarem com dívidas tributárias em aberto. Segundo o órgão federal, dificuldades econômicas e de processos, o simples esquecimento e a falta de gestão fiscal — o que leva o empresário a terceirizar o serviço — contribuem para aumentar a inadimplência em todo o país. “É muito importante que o empresário consiga, ao menos uma vez por mês, consultar a situação de sua empresa. O empreendedor precisa se preocupar com a gestão fiscal”, alerta o auditor fiscal da Receita Federal e superintendente adjunto da Receita Federal na 1ª Região Fiscal, Daniel Belmiro Fontes.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O superintendente do Sebrae no Distrito Federal, Valdir Oliveira (foto), reforça o alerta. Segundo ele, uma empresa de porte reduzido que deixa o regime tributário simplificado está condenada à morte. “Uma pequena empresa que é desenquadrada do Simples Nacional passa a ter condições de tratamento igual às de um grande empreendimento. Isso acaba com a viabilidade do negócio, porque o empresário não terá condições de seguir na atividade. Assim, mata-se a empresa e também a oferta de emprego em nosso país”, explica Valdir.

Parcelamento

Os empresários notificados têm até o dia 12 de dezembro para solicitar o parcelamento de seus débitos, por meio do Portal do Simples Nacional ou pelo Atendimento Virtual (e-CAC), na página da Receita Federal na internet (www.receita.fazenda.gov.br). Aqueles que concluírem a solicitação do parcelamento terão a exclusão do Simples Nacional automaticamente cancelada dentro de 45 dias. Ou seja, o contribuinte continuará nesse regime especial e não precisa comparecer às unidades da Receita Federal para realizar qualquer procedimento.

Saiba Mais 

Uma boa oportunidade para os empresários do Distrito Federal regularizarem suas situações com o Fisco Nacional é o Mutirão da Simplificação, força-tarefa promovida pelo Sebrae no DF em parceria com o governo local, que acontecerá entre hoje e a próxima sexta-feira (29), na QNE 29, em frente ao Taguacenter.

A iniciativa tem como objetivo atender empreendedores e potenciais empresários com orientações sobre registro e licenciamento de empresas e também promover capacitações em gestão empresarial por meio de seminários e oficinas totalmente gratuitas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Durante a realização, estarão reunidos no local órgãos como o Corpo de Bombeiros; Defesa Civil; Instituto Brasília Ambiental (Ibram); Vigilância Sanitária; Conselho Regional de Contabilidade (CRC); Junta Comercial, Industrial e de Serviços do Distrito Federal (Jucis/DF) DF Legal; Banco de Brasília (BRB); Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/DF) e o Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis (Sescon/DF).

Também participarão do evento as secretarias de Desenvolvimento Econômico (SDE); de Economia e de Trabalho; de Desenvolvimento da Micro e Pequena Empresa, Empreendedorismo e Artesanato, entre outros órgãos do GDF e entidades parceiras do Sebrae.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade