Siga o Jornal de Brasília

Entretenimento

Peça traz o Nordeste ao Distrito Federal

Da Redação
[email protected]

O sertão árido, sofrido, religioso e místico ganha cores nas letras do pernambucano Cícero Belmar. Autor do livro Umbilina e Sua Grande Rival, Belmar expõe um duelo: a vida contra a morte. A obra foi adaptada para o teatro e ganhará pela primeira vez os palcos da capital. Com direção do pernambucano Ernandes Silva, o espetáculo de comédia As Rivais estará em cartaz nesta sexta-feira, às 13h30 e às 16h, no Centro de Ensino Fundamental 3 (QD 46 AE 1 Vila São José), em Brazlândia. A entrada é franca. Informações: 99508-4994 Não recomendado para menores de 10 anos.

Com os tons do cordel e do Nordeste, As Rivais conta a história de Umbilina (Maria Moreira), uma mulher que ficou só com seu único filho que restou dos nove que pariu. Os outros partiram para o lado de lá. Mãe de José Maria do VentroJesus (Lucas Lima), Umbilina encontra-se doente e terá que enfrentar uma grande rival: a morte. Para isto, ela contará com a ajuda de Nossa Senhora das Dores (Clara Camarano), dos anjos da guarda (Lucas Lima e Genice Barego) e da personagem de cordel Ana Roxinha (Genice Barego).

E é na peleja que Umbilina enfrenta a personagem da Morte (Madelon Cabral), esta personificada. O diretor Ernandes Silva preza pelo misticismo nordestino e humaniza os personagens de forma cômica. “Teremos uma morte de preto, com foice, assim como ela se apresenta no imaginário popular. Mantenho uma interpretação naturalista, além de valer-me da comédia para prezar pelo texto do Cícero. Apesar do enredo ser ambientado no Nordeste, ele tem uma linguagem universal”, destaca Silva.

A mulher que engoliu sapos
Personagem central da trama, Umbilina engoliu muitos sapos durante sua vida. Para o autor Cícero Belmar, ela não é apenas arretada, mas uma mulher comum, que sofreu com traições e que teve que enfrentar não apenas a morte, mas a dura vida. “A obra fala sobre destino. E eu me banho no Realismo Fantástico e no Movimento Armorial, de Ariano Suassuna, para dar vida a este clássico. Afinal, no interior de Pernambuco as pessoas vivem este Realismo Fantástico“, revela Belmar.

E como o espetáculo é cercado por mulheres, ele preza ainda pelo empoderamento feminino. “A peça tem uma representatividade feminina muito grande. São as mulheres no centro e elas são independentes”, pontua o diretor.

Saiba Mais

Depois de Brazlândia, o espetáculo teatral As Rivais segue para a Estrutural, onde será encenado no dia 29 de março, às 15h e às 20h, no Centro de Ensino fundamental 2 (Qd 2 – Ae – Conjunto 1, 2).

Após passar pelas regiões administrativas, a peça irá para o Plano Piloto, em maio.

A montagem As Rivais conta com patrocínio do FAC (Fundo de Apoio à Cultura).

Você pode gostar
Publicidade