Siga o Jornal de Brasília

Eventos

50 anos do curso de Psicologia do UniCEUB terá Congresso aberto à comunidade

A expectativa é reunir duas mil pessoas nos quatro dias de programação

Publicado

em

Em comemoração ao cinquentenário do curso de Psicologia do UniCEUB, o Centro Universitário realiza o Congresso 50 anos de Psicologia – Uma trajetória de saberes e ações, gratuito e aberto à comunidade.

A abertura do evento contará com a presença da renomada psicóloga pós-doutorada em Harvard, Silvia Koller, na noite de 26 de agosto, em Brasília.

O Congresso reunirá, entre 27 e 30 deste mês, ampla programação com minicursos, painéis, lançamento de livros e palestras com reconhecidos profissionais da Psicologia nos campi da Asa Norte e Taguatinga do UniCEUB.

A coordenadora do curso de Psicologia do Centro Universitário, Simone Roballo, amplia o convite para a participação do público da região em todo o Congresso, entre 27 e 30 de agosto, a estudantes e colegas da área de Psicologia, além da comunidade.

“O UniCEUB tem uma tradição histórica na realização de eventos científicos de Psicologia ao longo desses 50 anos de existência do curso. E o Congresso é um evento comemorativo e inclusivo. Vamos apresentar os principais avanços da área e abrir o debate junto com a população”, afirma.

O Professor, Carlos Augusto, concedeu entrevista ao Jornal de Brasília sobre saúde mental e desafios da profissão no país. Confira:

Qual a importância do debate de temas voltados para a saúde mental junto à comunidade, tal como está previsto na programação do Congresso?

Hoje em dia, com as diversas ferramentas tecnológicas, a população tem cada vez mais acesso às informações sobre saúde mental, e isso tem sido discutido não só no âmbito da psicologia, como também na psiquiatria. Entretanto, ainda há muita desinformação, há muito preconceitos, no que tange os problemas relacionados aos transtornos mentais. O formato do evento, totalmente aberto à comunidade, favorece a expansão do conhecimento e a desmistificação de temas considerados tabus. Dados oficiais apontam números alarmantes de pessoas com depressão e ansiedade em nosso país, muitas delas passam a vida inteira sem procurar ajuda. Temos que levantar esse assunto, é uma questão de saúde pública.

Na sua opinião de professor e psicólogo quais são os principais desafios no avanço da psicologia no país?

Vivemos um momento político conturbado, o grande desafio para a psicologia é se firmar como ciência e profissão em suas diversas várias áreas de atuação. A parte clínica já está bem consolidada, mas ainda há muito o que se conquistar em relação a inserção de profissionais nos hospitais, escolas e empresas. Outro ponto que tem se discutido bastante é justamente a relação dos psicólogos com a atuação dos coachs. É necessário estabelecer claramente quais são as prerrogativas da profissão, para que cada um atue em sua área de formação. Há ainda uma discussão que eu considero um retrocesso, sobre a volta da política manicomial. O Brasil passou anos lutando para desmontar esse tipo de tratamento, e agora, há quem defenda o retorno dessas internações.

Você acredita que cresceu o número de pessoas que falam abertamente sobre saúde mental?

Sim, cresceu. Em grande parte pelo impacto das redes sociais, que possibilitaram a troca de informações de forma acelerada e ágil. Mas ainda se fala muita bobagem e um dos papeis do psicólogo é oferecer informação correta. O Congresso entra como uma oportunidade em mostrar para a população tudo que está sendo produzido no UniCEUB, em pesquisa e geração de conhecimento. Levando para o público leigo informação de qualidade.

Como o Brasil, um país com tantas carências básicas, pode incentivar o cuidado com a saúde mental?

O adoecimento psicológico não é problema atrelado a classe social, qualquer pessoa pode ter depressão, ansiedade, bipolaridade. O governo, a comunidade acadêmica e a sociedade devem trabalhar juntos para estar prontos para acolher essas pessoas. Temos que tratar a saúde mental, assim como cuidamos da segurança alimentar, por exemplo. Por isso convidamos a toda população do DF a participarem dos 50 anos do curso de Psicologia do UniCEUB, se unindo no debate de temas tão importantes.

Confira a seguir painéis de destaque do evento:

Ressocialização de mulheres ex-detentas
27/8 às 8h
Auditório do Bloco 2, Asa Norte

Desafios na Promoção de uma Cultura de Paz nas Escolas
27/8 às 10h
Auditório do Bloco 2, Asa Norte

Economia Comportamental: escolha e Comportamento do Consumidor
28/7 às 8h
Auditório Bloco 1, Asa Norte

Assistência ao Paciente Obeso Antes e Após a Cirurgia Bariátrica
28/7 às 14h (confirmar horário)
Sala 187, Taguatinga

Persistência e ressurgência comportamental: como o passado afeta o presente
29/8, 9h20
Auditório Biblioteca, Asa Norte

Mundo complexo, carreiras complexas: qual o papel da Orientação Profissional e de Carreira?
29/8, 9h50
Auditório do Bloco 2, Asa Norte

Corrupção, desonestidade e “jeitinho brasileiro”: contribuições teóricas e empíricas da psicologia
29/8, 9h50 (confirmar horário)
Sala 188, Taguatinga

Psicologia política e moralidade: investigações baseadas na Teoria dos Fundamentos Morais
30/8, às 8h
Auditório da Biblioteca, Asa Norte

Gênero, Sexualidade e Educação: desconstruindo Preconceitos
30/8, às 8h
Sala 187, Taguatinga

SERVIÇO


Você pode gostar
Publicidade