Siga o Jornal de Brasília

Cinema

Conheça os 5 melhores filmes com temática trans dos últimos tempos

Dando continuidade ao conjunto de matérias em especial ao mês do orgulho LGBTQ+, selecionamos filmes que deram visibilidade para os indivíduos trans ao longo dos anos. Porém, por mais que Hollywood tenha escalado atores transgêneros ou transsexuais para os filmes de modo tardio, estes títulos da lista souberam como deixar sua marca na categoria. Confira:  

 

Transamerica

Antes de Felicity Huffman participar de esquemas fraudulentos nos Estados Unidos, ela foi conhecida por sua participação no seriado Desperate Housewives. Entretanto, o ápice de sua carreira – tanto de estrelado quanto de talento – foi no roadmovie Transamerica (2006). Huffman interpreta com muito vigor e complexidade uma mulher trans que se prepara para a cirurgia de troca de sexo, mas antes disso, ela precisa enfrentar seu passado ao conhecer seu filho. Transamerica, como nenhum filme americano fez, mostra a persona intrínseca de uma pessoa transsexual. Se você acredita que a pessoa escolhe o gênero dela, Transamerica irá despertar essa empatia ausente.  

Foto – Divulgação

Tomboy

Se Transamerica mostra como é dentro de uma pessoa trans, Tomboy com certeza vai te mostrar os caminhos da descoberta. Este longa-metragem francês conta a história de Laurie, uma menina que apresenta problemas de socialização com outras meninas, mas que se identifica com o gênero masculino. De modo lúdico, Tomboy vai mostrar a trajetória de Laurie em se descobrir um menino transsexual. Delicado, emocionante e com certeza indispensável, este filme dirigido por Céline Sciamma é um marco para o gênero em mostrar os primeiros passos de uma descoberta arrebatadora, porém encantadora dos personagens. 

 

Foto – Divulgação

Meninos Não Choram

Como citado, levou um tempinho para que Hollywood percebesse que era necessário um ator trans para interpretar um personagem trans, mas enquanto isso não aconteceu, personalidades cis da sétima arte souberam encorporar brilhantemente ícones da luta LGBTQ+. Meninos Não Choram, estrelado por Hilary Swank é um destes exemplos. Dirigido por Kimberly Peirce, o título conta a trágica história de Brandon Teena, um homem trans que se envolve com uma mulher no interior do Texas. Muito ao contrário de Tomboy, Meninos Não Choram não apresenta qualquer tipo de otimismo e talvez seja por isso sua relevância: mostrar o que estes indivíduos passam todos os dias. 

Foto – Divulgação

Hedwig: Rock, Amor e Traição

Este exemplo é uma mistura como nunca vista em Hollywood. Dirigido por John Cameron Mitchell – que também estrelou este musical (foto) – Hedwig: Rock, Amor e Traição trouxe novos elementos para este subgênero: tanto para os musicais em si quanto para o cinema de representatividade. O drama mostra a jornada de Hensel, uma mulher trans que fará de tudo para conquistar seus sonhos. 

Foto – Divulgação

 

Uma Mulher Fantástica

Mesmo que Pedro Almodóvar tenha feito no passado, porém sem dar o protagonismo para suas personagens transsexuais, Sebastián Lelio entendeu – ao pé da letra – que o cinema LGBTQ+ é composto por representatividade. Por isso, sua parceria com Daniela Vega (uma atriz trans) rendeu um dos melhores filmes que o cinema deste gênero poderia ter. O título Uma Mulher Fantástica mostra o dilema de Marina (Vega) ao lidar com sua transexualidade. Com muita empatia, Lelio se destaca com uma das personalidades mais importantes do cinema latino atual.  

 

Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA